Dengue

Vírus mais agressivo da dengue avança no País

15 Jul 2016 - 11h00
Embora a maioria dos casos de dengue no Brasil ainda seja causada pelo tipo 1 da doença, cresce em alguns Estados a circulação do sorotipo 2, o mais agressivo dos quatro vírus existentes. Dados do mais recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, com estatísticas de 3 de janeiro até 28 de maio, mostram que, de um total de 2,2 mil amostras positivas para dengue analisadas em laboratório neste ano, 6,4% já são do tipo 2, ante 0,7% no ano passado. No Estado de São Paulo, esse tipo de vírus já é responsável por 13,6% dos casos da doença, ante 0,5% em 2015.

Além de ser considerado por especialistas o mais virulento dos quatro sorotipos da dengue, o tipo 2 ainda está relacionado a outro risco no País. Como parte da população brasileira já foi infectada pelo tipo 1, a ocorrência de uma segunda infecção por outro sorotipo aumenta o risco de desenvolvimento de uma das formas graves da doença, que podem levar à morte, como a febre hemorrágica.

Segundo o infectologista Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, o risco maior em uma segunda infecção pela doença está relacionado à resposta imunológica do paciente que já contraiu o vírus uma vez. "Como já existem anticorpos contra um tipo de dengue no organismo, há uma reação inflamatória exacerbada, que prejudica o organismo, mas que não consegue neutralizar o novo sorotipo. O risco de desenvolvimento de uma forma grave da dengue é de 15 a 20 vezes maior quando se trata de uma segunda infecção."

O grande número de brasileiros infectados pelo tipo 1 nas epidemias de dengue dos últimos anos é uma das razões que explicam o crescimento dos casos provocados pelo tipo 2, segundo especialistas. "Como o vírus tipo 1 da dengue está circulando há muito tempo no Brasil, já temos muitas pessoas imunes a ele. Quando há o contato dessa população com outro sorotipo, aumenta mesmo o número desses tipos de casos porque há mais pessoas suscetíveis a ele. E uma segunda infecção por dengue tem tendência a uma gravidade maior", explica Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças da Secretaria Estadual da Saúde.

Além de São Paulo, outros Estados registram circulação do tipo 2 da dengue acima da média nacional. No Pará, 33,3% das amostras analisadas correspondem a esse sorotipo. No Distrito Federal, esse índice é de 26,8% e em Rondônia, de 13,1%.

 

 

Fonte - Agência Estado

Matérias Relacionadas

Guaramirim

Secretaria de Saúde de Guaramirim fechada para sanitização

O motivo do fechamento é a confirmação de um caso positivo na unidade
Secretaria de Saúde de Guaramirim fechada para sanitização
Santa Catarina

Procon encontra diferença de até 200% nos preços dos exames de Covid-19

Diante da situação, o Procon notificou os estabelecimentos para que seja esclarecido os motivos que justifiquem os valores diferentes
Procon encontra diferença de até 200% nos preços dos exames de Covid-19
Trânsito

Começa nesta 5ª feira as obras de recapeamento da Rua João Januário Ayroso

Durante os trabalhos a rua ficará sujeita à interdições parciais (meia pista) ou totais, requerendo cautela dos motoristas ao trafegar pelo local
Santa Catarina

Coronavírus em SC: Lacen recebe insumos e equipamentos para agilizar resultados de exames

Santa Catarina irá aumentar capacidade de testagem e acelerar o processamento dos exames
Coronavírus em SC: Lacen recebe insumos e equipamentos para agilizar resultados de exames
Ver mais de Geral