GERAL

SP vai do Brasil até a Armênia na 2ª noite

02 Mar 2019 - 09h13Por Gilberto Amendola

O carnaval de escolas de samba de São Paulo vai terminar com um cigarrinho. Ou melhor: o segundo e último dia de desfiles do Grupo Especial será encerrado pelo desfile da Gaviões da Fiel, com um enredo homenageando o tabaco.

Com A Saliva do Santo e o Veneno da Serpente, a Gaviões vai contar a história, as lendas, as características e os malefícios do tabaco. Trata-se de um "segundo cigarrinho", considerando que o enredo foi defendido pela escola há 25 anos, no desfile de 1994 (a escola foi vice-campeã). Desde aquela época, o samba vem sendo cantado pela torcida corintiana durante e no fim de muitas partidas do time.

De acordo com a escola, retomar o tema foi uma forma de "resgatar um carnaval apoteótico". Mas, apesar disso, adverte que dessa vez o enredo terá uma nova roupagem na avenida. Como curiosidade fica a última estrofe do samba que, além de divulgar um famoso slogan de marcas de cigarro ("É um raro prazer") também adverte: "Mas não abuse/ Que faz mal pro coração (e pro pulmão)".

De polêmica em polêmica. De volta ao início, a primeira escola a pisar no Anhembi, às 22h30, será a Águia de Ouro. A agremiação vai defender o enredo Brasil, Eu Quero Falar de Você! O tom é de crítica política, mas com o adendo de que o governo recém-eleito será poupado por ainda não ter tido tempo de mostrar a que veio - e do tema ter sido escolhido antes das eleições. O samba fala de "um País descolorido" (referência ao ex-presidente Fernando Collor de Mello) e também sobre as manifestações que derrubaram a presidente cassada Dilma Rousseff ("E o povo na rua, revestido de coragem/Lava a alma de esperança pra acabar com a sacanagem").

A Águia de Ouro passou por uma polêmica na internet durante os ensaios técnicos do Anhembi. Um dos membros da escola estava fantasiado de Hitler e emulando o gesto da "arma" com as mãos - feito pelo presidente Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial. O resultado é que a escola se apressou em pedir desculpas a comunidade judaica e ao próprio Bolsonaro. O folião foi afastado e não desfilará hoje.
Às 23h35 quem entra é a Dragões da Real. Ela propõe uma viagem pelo tempo. "Somos escravos da hora/ Senhores do agora/ Num mundo veloz/ Será que é o tempo que passa/ Ou quem passa somos nós?"

Depois será a vez da Mocidade Alegre, com Ayakamaé - As Águas Sagradas do Sol e da Lua, inspirado em uma lenda indígena. "Vou pelas águas que Tupã abençoou/ Amazonas, meu amor! (Amazonas... Amazonas, meu amor!)."

À 1h45 entra na passarela a tradicional Vai-Vai. A escola vai apresentar as lutas do povo negro em Vai-Vai, o Quilombo do Futuro. Um dos momentos altos do samba é o trecho que diz: "A liberdade é minha por direito/ Não vamos tolerar o preconceito/ Somos todos irmãos/ E a luz da razão vai nos guiar..."

Outra escola tradicional e forte do carnaval de São Paulo entra na sequência. A Rosas de Ouro, defendendo o enredo Viva Hayastan! - uma homenagem ao povo armênio. Às 3h55 é a vez da Unidos da Vila Maria, que homenageará o Peru, com o enredo Nas Asas do Grande Pássaro, o Vôo da Vila ao Império do Sol.

E, por último, um cigarrinho será aceso pela Gaviões para encerrar o desfile do Grupo Especial em São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Promotor de Justiça verifica situação dos cabos soltos nas ruas em Jaraguá

Marcelo Cota e o secretário de Planejamento, Eduardo Bertoldi, identificaram situações de fiação irregular em Jaraguá do Sul
Promotor de Justiça verifica situação dos cabos soltos nas ruas em Jaraguá
Geral

Entra em vigor lei do teste de paternidade em parentes de suposto pai

O teste em parentes consanguíneos poderá ser autorizado por um juiz
Geral

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira
Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Ver mais de Geral