GERAL

Segunda noite de desfiles no Rio é marcada pela crítica social

05 Mar 2019 - 08h41Por Fábio Grellet e Fernanda Nunes

A segunda noite de desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro foi marcada pela emoção e pela crítica social. As duas escolas de samba de maior torcida, Mangueira e Portela, arrebataram o público - a Verde e Rosa com uma homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018, e a Portela cultuando a cantora Clara Nunes (1942-1983). A Vila Isabel também fez bela exibição, mas foi a única das 14 agremiações a descumprir o limite de tempo: seu desfile durou 76 minutos, o que fará a escola perder 0,1 ponto, obrigatoriamente, já no início da apuração, que vai ocorrer na tarde desta quarta-feira (6).

União da Ilha e Mocidade estiveram parelhas, com qualidade inferior às três outras. São Clemente fez um desfile divertido, porém bastante simplório, e a Paraíso do Tuiuti teve problemas com dois carros alegóricos e deve perder pontos em quesitos como alegorias e adereços, evolução e harmonia.

O desfile que mais comoveu a plateia foi da Mangueira, que contou uma "nova" história do Brasil, reverenciando heróis populares em detrimento das personalidades que constam dos registros históricos. Dom Pedro I foi retratado com roupa de presidiário, enquanto índios e negros que lideraram revoltas contra a escravidão foram cultuados. Marielle foi homenageada na abertura e no encerramento.

A Portela cultuou Clara Nunes, contando sua infância em Minas, sua religiosidade e sua ligação com Madureira, berço da escola azul e branca. A Vila Isabel homenageou Petrópolis, enquanto a Mocidade discorreu sobre o tempo. A União da Ilha usou a vida e obra dos escritores Jose de Alencar e Rachel de Queiroz para homenagear o Ceará.

A São Clemente reeditou um enredo de 1990 para criticar a comercialização dos desfiles das escolas de samba e as mudanças impostas pelo poder financeiro. Vice-campeã em 2018, a Paraíso do Tuiuti contou a história do bode Ioiô, eleito vereador em Fortaleza em 1922, como resultado de um protesto popular. A escola decepcionou não com o enredo, mas com problemas nos carros alegóricos - um deles precisou ser parcialmente desmontado a poucos metros da pista do sambódromo.

Confira os melhores momentos:

Mocidade Independente de Padre Miguel
A Mocidade Independente de Padre Miguel encerrou o desfile das escolas especiais do Rio narrando a relação do homem com o tempo, as agruras e alegrias que a passagem das horas proporciona. Com o enredo 'Eu sou o tempo, tempo é vida', o carnavalesco Alexandre Louzada colocou na Marquês de Sapucaí toda sorte de metáforas relativas ao tema.

Estação Primeira de Mangueira
Entre os nove quesitos que decidem a disputa entre as escolas de samba do Rio não está a emoção. Se estivesse, a Estação Primeira de Mangueira já poderia se considerar campeã de 2019. Sexta escola a se apresentar na segunda noite de desfiles, já ao amanhecer desta terça-feira, 5, a verde e rosa se equiparou a outras em fantasias e alegorias, mas arrebatou a plateia com uma comovente homenagem à vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março de 2018 no centro do Rio. A parlamentar era citada nominalmente no samba, o mais cantado deste carnaval.

Paraíso do Tuiuti
A Paraíso do Tuiuti foi a quinta a desfilar na segunda noite de exibições no sambódromo do Rio, já na madrugada desta terça-feira, 5. Escola de pouca tradição na elite do carnaval carioca, a agremiação vive uma alternância de resultados: em 2017, o carro abre-alas se desgovernou quando entrava na pista do sambódromo e prensou contra as grades pessoas que estavam nas laterais.

União da Ilha
E "Padim Ciço" sobrevoou a Marquês de Sapucaí sobre um drone, para abençoar a passagem da Ilha do Governador na avenida, O padroeiro nordestino voador foi o ponto alto do desfile da escola de samba, o quarto deste domingo, 4, de encerramento de disputa entre as agremiações do grupo especial.

Portela
A Portela foi a terceira agremiação a se apresentar no sambódromo do Rio de Janeiro na segunda noite de exibições das escolas de samba do Rio, já na madrugada desta terça-feira, 5. A escola emocionou o sambódromo ao homenagear a cantora portelense Clara Nunes (1942-1983), um ícone da escola de Madureira (bairro da zona norte do Rio). Sob o comando da experiente carnavalesca Rosa Magalhães, a escola apresentou fantasias e alegorias luxuosas e bem acabadas. O único senão à exibição foi ter corrido um pouco, no final.

Unidos de Vila Isabel
A Unidos de Vila Isabel, azul e branca do bairro de Noel, trouxe a família real e a cidade serrana de Petrópolis (RJ) à Marquês de Sapucaí. Com o enredo "Em nome do pai, do filho e dos santos - a Vila canta a cidade de Pedro" e assinatura do carnavalesco Edson Pereira, a escola narrou os tempos áureos do município fluminense, morada de verão de Dom Pedro II e descendentes, entre eles a Princesa Isabel .

São Clemente
Conhecida pelos enredos bem-humorados, desta vez a escola de Botafogo (zona sul) repetiu uma crítica que já havia apresentado em 1990 e que ficou ainda mais atual. O enredo "E o Samba Sambou" mostrou como a profissionalização do desfile impôs mudanças às escolas e o carnaval passou a ser regido pelo poder financeiro. O tema foi bem explorado, com fantasias e alegorias compreensíveis, mas a escola sofre exatamente com a falta de dinheiro. Sem luxo e bastante simplória, e ainda afetada por uma certa correria, a escola certamente não retorna no Desfile das Campeãs, que vai reunir no próximo sábado (9) as seis escolas mais bem colocadas.

Programação
Segunda, 4 de março

21h15 - São Clemente. Enredo: "E o samba, sambou"

22h20 - Vila Isabel. Enredo: "Em nome do pai, do filho e dos santos, a Vila canta a cidade de Pedro"

23h25 - Portela. Enredo: "Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir cantar um sabiá"

00h30 - União da Ilha. Enredo: "A peleja poética entre Rachel e Alencar no avarandado do céu"

01h35 - Paraíso do Tuiuti. Enredo: "O salvador da Pátria"

02h40 - Mangueira. Enredo: "História para ninar gente grande"

03h45 - Mocidade. Enredo: "Eu sou o Tempo. Tempo é vida"

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Trabalho digital cresce 5 vezes e ameaça direitos trabalhistas

Alerta é da Organização Internacional do Trabalho
Trabalho digital cresce 5 vezes e ameaça direitos trabalhistas
Geral

Trabalhador tem suspeita de fraturas após sofrer queda de altura em Jaraguá

O acidente ocorreu no final da tarde de terça-feira (23) na rua Anton Frerichs, bairro Rau
Trabalhador tem suspeita de fraturas após sofrer queda de altura em Jaraguá
Geral

Liga de Doações tem balanço positivo em ações solidárias na região

Iniciativa liderada pela FIESC por meio do projeto "Eu Voluntário", a Liga de Doações Conecta SC atua com o propósito de ampliar o alcance de ações solidárias no estado
Geral

Árvore cai e interdita parte da Marechal, no centro de Jaraguá

A árvore atingiu um ônibus interditou três faixas da via nas proximidades da empresa HC Hornburg
Árvore cai e interdita parte da Marechal, no centro de Jaraguá
Ver mais de Geral