Habitação

Secretário expõe sociais e é cobrado sobre habitação

18 Abr 2011 - 12h23

O Secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Deputado Serafim Venzon participou de reunião do Colegiado de Assistência Social da AMVALI na última sexta-feira. O objetivo foi conhecer os programas estaduais da área social, bem como a linha de ação do estado e a possibilidade de parcerias com os municípios. O Presidente Nilson Bylaardt iniciou destacando a falta de recursos para a assistência social.

[jwplayer mediaid="93554"]

Sobre a questão habitacional, Nylson Bylardt ressaltou que as prefeituras arcam com a maior parte das despesas e quem aparece são os governos estadual e federal.

[jwplayer mediaid="93558"]

Outro ponto abordado foi a importância da qualificação dos trabalhadores, visto que existiam 60 mil pessoas desempregadas em Santa Catarina, destas 10 mil foram empregadas. Existem mais 20 mil vagas a serem preenchidas, porém não há pessoas qualificadas para desenvolver o trabalho. Demétrius Moura, diretor de trabalho e emprego e coordenador estadual do Sine, fala dos projetos que serão implantados para reduzir esses números.

[jwplayer mediaid="93556"]

O secretário Serafim Venzon disse que a meta do Governo em 4 anos é chegar ao percentual de 3,5% do orçamento do estado para a assistência social. Destacou programas como o "Minha Casa, Minha Vida" que já entregou mais de 1.500 casas na em 2010 e que é importante atender esta demanda, pois é muito difícil pessoas que ganham de um a três salários mínimos terem a casa própria.


Outro ponto abordado foi a importância da qualificação dos trabalhadores, visto que existiam 60 mil pessoas desempregadas em Santa Catarina, destas 10 mil foram empregadas. Existem mais 20 mil vagas a serem preenchidas, porém não há pessoas qualificadas para desenvolver o trabalho.

Outra meta da secretaria é fazer em quatro anos no mínimo mais de 100 mil casas, aumentar o repasse de recursos e qualificar as pessoas para o mercado de trabalho.

Após o debate, foi entregue ao secretário algumas reivindicações dos municípios da AMVALI, entre elas: a compra de veículos para atender os usuários que dependem da política de assistência social; o apoio para a conclusão do CRAS de Corupá; convênios para atender crianças e adolescentes em situação de dependência química; aumento de recursos para capacitações regulares de técnicos da assistência social; financiamentos para construção de novos CRAS e aquisição de materiais; implantação do serviço para mulheres vítimas de violência, entre outros.

O Colegiado de Assistência Social solicitou a intervenção da Secretaria de Estado da Assistência Social no sentido de flexibilizar a aplicação dos recursos oriundos do Ministério de Desenvolvimento Social, uma vez que estes são direcionados exclusivamente a "custeio". Os municípios solicitam que os mesmos possam ser aplicados em outras modalidades de despesa, a fim de suportar o pagamento de pessoal, cursos e capacitações.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Legislativo jaraguaense completa 85 anos nesta quarta

Hoje o Legislativo está em sua 20ª legislatura e 169 pessoas já tiveram a incumbência de exercer a vereança no município. Dez delas, mulheres.
Legislativo jaraguaense completa 85 anos nesta quarta
Geral

Dose solidária: prefeituras se unem em campanha de arrecadação de alimentos

Doações podem ser feitas nos pontos de vacinação contra a Covid-19
Dose solidária: prefeituras se unem em campanha de arrecadação de alimentos
Geral

STJ decide que condomínio pode proibir locação por meio de aplicativo

Decisão vale somente para o caso concreto
STJ decide que condomínio pode proibir locação por meio de aplicativo
Geral

Decreto prorroga auxílio emergencial aos trabalhadores da cultura

Nova norma afasta incertezas sobre benefício da Lei Aldir Blanc
Ver mais de Geral