Geral

Secretaria da Saúde intensifica ações de prevenção à AIDS durante o Carnaval

05 Fev 2013 - 19h22

Com a chegada do Carnaval, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), intensifica ainda mais suas ações de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis, com enfoque especial para o HIV/AIDS e a hepatite viral tipo B. Dentre as ações, haverá distribuição de 2,6 milhões de preservativos masculinos, 2,8 mil preservativos femininos e 20 mil unidades de gel lubrificante íntimo aos municípios catarinenses.


Elma Fior da Cruz, gerente de Vigilância das DST/HIV/HV da DIVE, explica que é justamente nessas épocas de descontração que se deve dar especial atenção à prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. "Estatísticas revelam que vem diminuindo o uso do preservativo. Como consequência, o número de notificações e casos das DSTs está aumentando. Por isso intensificamos nossas ações incentivando o uso da camisinha como fator de proteção", alerta Elma.

Segundo a gerente, desde 1984, Santa Catarina registrou 27.992 casos de AIDS, sendo 27.044 em adultos e 948em crianças. Nomesmo período foi notificado também o vírus HIV em 4.926 gestantes. A incidência de Aids em adultos no ano passado foi de 24,6 casos para cada 100 mil habitantes. No público infantil, a proporção foi de 2,6 casos por 100 mil crianças menores de cinco anos.

Preocupado com incidência da doença em Santa Catarina, o secretário-adjunto de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, está propondo campanhas permanentes de conscientização. "Temos de agir dentro das escolas, em parceria com educadores, porque é através da educação que formaremos gerações de adultos conscientes da necessidade de prevenção", disse Casagrande.

Registros da DIVE revelam que mais de 89,2 % dos municípios catarinenses já notificaram pelo menos um caso de Aids, sendo que as principais categorias  de exposição são: heterossexual (62,9%), usuário de drogas injetáveis (20,8 %) e homossexual (9,9 %).

 Hepatite também preocupa Estado

Psquisas da Vigilância Epidemiológica efetuadas desde 1994 acusam a notificação de 16.600 casos de hepatite B e 9.544 casos de hepatite C. "Nos casos onde é possível obter a informação da fonte de infecção, detectou-se ser a via sexual (21%) a causa principal nas infecções pelo vírus da Hepatite B e o uso de drogas injetáveis (23%) como risco para portadores do vírus da Hepatite C. A maior estratégia para vencer o avanço da hepatite B, além do uso do preservativo, é a intensificação da vacina,que está disponível em todos os postos de vacinação para a população até 29 anos", explica Elma.

 

Matérias Relacionadas

Mundo

Chuva cai pelo 2º dia e ajuda bombeiros a apagar fogo na Austrália

Muitos dos animais afetados tiveram seus habitats destruídos. Desta forma, especialistas alertam para o risco de extinção de algumas espécies
Chuva cai pelo 2º dia e ajuda bombeiros a apagar fogo na Austrália
Brasil

Santos usa drone com inseticida para combater mosquito da Dengue

O equipamento sobrevoa regiões de risco e joga o produto para matar ovos e larvas do Aedes aegypti
Santos usa drone com inseticida para combater mosquito da Dengue
Geral

Eleitor deve ficar atento aos prazos para regularizar situação junto a Justiça Eleitora

Para o eleitor que perdeu o prazo para fazer a biometria na cidade, a situação também poderá ser regularizada até o dia 6 de maio
Eleitor deve ficar atento aos prazos para regularizar situação junto a Justiça Eleitora
Educação

Enem 2019 foi melhor de todos os tempos, diz ministro

Exame teve 3,9 milhões de participantes ano passado
Enem 2019 foi melhor de todos os tempos, diz ministro
Ver mais de Geral