Delivery Much
GERAL

Saiba a importância da vacinação durante todas as fases da vida

29 Abr 2019 - 14h04

Além das campanhas nacionais de vacinação que ocorrem pelo País, como a da gripe atualmente e a da febre amarela no ano passado, é importante manter outras imunizações em dia. Cada fase da vida requer cuidados específicos, e as vacinas fazem parte do cuidado com a saúde.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1,5 milhão de mortes poderiam ser evitadas se a cobertura mundial de vacinação fosse melhorada. Sabendo disso, o órgão lidera a Semana Mundial da Imunização, entre os dias 24 e 30 de abril deste ano, que busca conscientizar a população sobre a importância da vacina e das conquistas já alcançadas graças a essa revolução da saúde.

Mas, diferente do que muitos podem pensar, não são apenas crianças e idosos que precisam se vacinar. "A vacinação pode e deve estar presente durante todas as fases da vida, da primeira infância à senilidade, e isso inclui os adultos", diz a médica ocupacional Sheila Homsani, diretora médica da Sanofi Pasteur, divisão de vacinas da farmacêutica Sanofi.

Cada fase da vacinação tem sua relevância para manter a proteção contra doenças que prejudicam a qualidade de vida dos indivíduos e podem até levar à morte. Conheça abaixo a importância da vacinação durante todas as fases da vida:

Recém-nascidos

Ao nascerem, os bebês ficam expostos a centenas de vírus e bactérias e o sistema imunológico deles ainda é imaturo e frágil, o que os deixa mais suscetíveis a doenças e infecções. Hepatite B, influenza e poliomielite são algumas enfermidades graves que impactam a saúde dos recém-nascidos e que podem ser prevenidas com vacinação.

"Em 1980, o Brasil tinha uma incidência de um caso de poliomielite a cada cem mil indivíduos quando houve o primeiro dia nacional de vacinação contra a doença. No ano seguinte, em 1981, a incidência passou a 0,1 caso em cem mil pessoas, uma queda extremamente significativa que mostra a eficiência da iniciativa", conta Sheila.

Infância

Nesta fase, é importante que crianças de até dez anos de idade recebam o primeiro grupo de vacinas e as doses de reforço para evitar o aparecimento de doenças. Devido à maior exposição na escola, onde acontece o contato com um número maior de pessoas, e com o sistema imunológico ainda em desenvolvimento, as crianças podem estar mais propensas a contrair infecções e enfermidades. Difteria, coqueluche, tétano e influenza são algumas das doenças que podem ser evitadas se as crianças forem vacinadas de acordo com o calendário vacinal.

Adolescentes

Os adolescentes são o grupo com maior chance de ser afetado pelo vírus meningococo, que provoca a meningite meningocócica. A doença pode causar sequelas como perda de visão, audição e de membros e ser fatal. O reforço da vacina ocorre, inclusive, entre os 11 e 14 anos e pode reduzir o risco de transmissão da doença para outras pessoas não protegidas. É também nessa idade que pode ser administrada a vacina contra o HPV, vírus que pode causar câncer de colo do útero nas mulheres adultas.

Adultos

"Vacinar-se quando adulto não é muito comum e as pessoas nem sabem que é necessário, mas algumas vacinas tendem a perder a eficácia ao longo do tempo e exigem uma dose de reforço para continuar protegendo o indivíduo", afirma Sheila. Protegidos, os adultos podem evitar a transmissão de doenças a seus familiares e colegas de trabalho. Outro ponto é que infecções tendem a piorar o quadro clínico de doenças crônicas.

"Se um paciente com doença crônica, como doença cardiovascular ou diabete, é infectado com alguma doença que pode ser prevenida por vacina, ele pode ter seu quadro inicial agravado e uma descompensação ainda maior na saúde", alerta a especialista, que recomenda ainda mais atenção à imunização nesses casos.

Gestantes também devem ficar atentas, uma vez que também são mais suscetíveis a complicações por terem um sistema imunológico mais deficiente do que outros indivíduos. Vacinas contra gripe, hepatite B e tétano são indicadas na fase adulta, dependendo da condição vacinal de cada pessoa.

Idosos

As doenças podem causar mais complicações e até serem letais em idosos, que possuem um organismo mais suscetível e debilitado do que as outras faixas etárias. Considerados parte do grupo prioritário em campanhas nacionais de vacinação, os idosos são, por exemplo, as principais vítimas da influenza. Além disso, a vacinação desse grupo é estratégica para a saúde pública, por permite aumentar a qualidade de vida dessa população.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Santa Catarina exigirá rastreabilidade do leite para dar mais segurança ao consumidor

Na prática, os estabelecimentos que recebem leite ou processam leite cru refrigerado terão que rastrear toda a matéria-prima e solicitar os exames de brucelose e tuberculose dos bovinos de seus fornecedores
Santa Catarina exigirá rastreabilidade do leite para dar mais segurança ao consumidor
Geral

IPVA 2021: prazo para pagamento em cota única termina no dia 1º de fevereiro

O prazo para pagamento em três vezes sem juros terminou no último dia 10
Geral

Cobras corais da região seguem para produção de soro antiofídico no Butantan

As cobras corais são consideradas as serpentes mais venenosas do Brasil; toxina potente afeta o sistema nervoso e o controle muscular
Cobras corais da região seguem para produção de soro antiofídico no Butantan
Política

Após período de férias, atendimento volta ao normal na Prefeitura de Jaraguá

Após período de férias, atendimento volta ao normal na Prefeitura de Jaraguá
Ver mais de Geral