Escolas

Refrigerante é vetado nas escolas

23 Jun 2016 - 12h28
O consumo de refrigerantes produzidos por fabricantes líderes de mercado no Brasil em cantinas de instituições de educação infantil será substituído por bebidas consideradas mais saudáveis, como água mineral e de coco. A iniciativa é resultado do engajamento na causa contra a obesidade. Em ação conjunta, a Coca-Cola Brasil, a Ambev e a PepsiCo Brasil anunciaram nessa quarta-feira (22) que vão deixar de vender refrigerantes nas escolas que atendem crianças de até 12 anos ou com maioria de alunos até essa faixa etária.

Em nota, as três empresas informaram que o fornecimento às cantinas em todo o país será exclusivamente de água mineral, suco de frutas sem adições, água de coco e bebidas lácteas, atendendo a diretrizes de associações internacionais do setor. Ainda tendo essas diretrizes como referência, outras opções poderão ser ofertadas pelas fabricantes no futuro.

A mudança na estratégia comercial e de marketing das empresas valerá a partir de agosto, com um portfólio, segundo a nota conjunta das empresas, adequado “à critérios nutricionais específicos”. Os três fabricantes consideram que devem ajudar os pais ou responsáveis das crianças até essa faixa etária a combater o complexo problema da obesidade.

“No momento do recreio, os alunos têm acesso às cantinas escolares sem a orientação e a companhia de pais e responsáveis, e crianças abaixo de 12 anos ainda não têm maturidade suficiente para tomar decisões de consumo”, diz o comunicado da Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo. A nota diz, ainda, que as fabricantes estão dispostas a participar da construção de um ambiente nas escolas que propicie “escolhas mais adequadas para crianças em idade escolar, assim como estimular a hidratação e a nutrição, contribuindo para uma alimentação mais equilibrada”.

De acordo com as empresas, a escolha dos produtos que passarão a atender às cantinas das escolas infantins foi também baseada em recomendações de especialistas em saúde pública, alimentação e nutrição e com profissionais e institucionais que cuidam dos direitos das crianças. A nova política de vendas será adotada para as cantinas que compram diretamente das fabricantes e seus distribuidores.
As gigantes do mercado de bebidas informaram, também, que junto a clientes que se abastecem de seus produtos em outros pontos de venda, a exemplo de supermercados, redes de atacados e adegas, vão desenvolver ação de sensibilização dos comerciantes por meio da qual todos serão convidados a se unir à iniciativa. Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo estão, ainda, trabalhando com a Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas (Abir) para tornar as diretrizes que assumiram um compromisso de todo o setor.

Maior fabricante de bebidas não alcoólicas do país, o grupo Coca-Cola Brasil detém mais de 125 produtos. A concorrente PepsiCo está no Brasil desde 1953. A Ambev, sediada em São Paulo, mantém operações em 19 países.

 

 

O Estado de Minas

Matérias Relacionadas

Geral

No dia do aniversário de Corupá, prefeito destaca conquistas do município

João Carlos Gottardi participou ao vivo do Diário da Jaraguá na manhã desta terça-feira (7)
No dia do aniversário de Corupá, prefeito destaca conquistas do município
Jaraguá do Sul

Jaraguá vai auxiliar agricultores prejudicados por ciclone

O secretário de agricultura, Daniel Pech, ilustra a dimensão dos prejuízos, citando o caso de dois criadores de frango no bairro Rio da Luz
Jaraguá vai auxiliar agricultores prejudicados por ciclone
Economia

Economia com viagens e diárias na pandemia chega a R$ 199,6 milhões

Trabalho remoto proporcionou redução de gastos aos cofres públicos
Economia com viagens e diárias na pandemia chega a R$ 199,6 milhões
Jaraguá do Sul

Ponto de Entrega Voluntária de Jaraguá recebe materiais resultantes da passagem do ciclone ‘bomba’

Entre sábado (4) e domingo (5), foram mais de 60 atendimentos registrados, gerando pelo menos quatro caçambas de resíduos de construção civil
Ponto de Entrega Voluntária de Jaraguá recebe materiais resultantes da passagem do ciclone ‘bomba’
Ver mais de Geral