CMG - Setembro
Femusc 2013

Programação do 8º Femusc foi assistida por mais de 50 mil pessoas

07 Fev 2013 - 15h00

A previsão inicial de movimentar um público de 45 mil espectadores foi superada pelo Femusc - 8º Festival de Música de Santa Catarina. Na avaliação final realizada pela organização, chegou-se ao total de 50,1 mil pessoas durante os 13 dias de realização do evento (20 de janeiro a 2 de fevereiro) nos palcos fixos da programação, no Centro Cultural de Jaraguá do Sul, e nos espaços alternativos.


Para o diretor executivo do Instituto Femusc, Fenísio Pires Júnior, o resultado não chega a surpreender. "Estamos satisfeitos com a resposta do público, que este ano lotou todas as noites dos concertos, nos teatros da Sociedade Cultura Artística, mas também marcou presença em outros ambientes do Centro Cultural", assinala. 

Ele cita como exemplo as atividades nas salas onde ocorreram apresentações da série Piano Master e a exposição retrospectiva do festival, sempre com movimentação intensa. "Em qualquer evento de grande porte precisamos considerar a visitação flutuante, e neste sentido podemos assegurar que o fluxo de pessoas em todos os espaços onde se respirou Femusc foi marcante".

Para o próximo a organização já prevê mudanças no sentido de oferecer maior comodidade ao público, seguindo uma evolução natural do Festival. Estas inovações serão discutidas ao longo do desenvolvimento da nona edição, cuja data de realização já foi definida para o período de 19 de janeiro a 1º de fevereiro de 2014 - as inscrições para as turmas de alunos serão abertas no dia 15 de agosto deste ano. "Este ano tivemos a presença de visitantes de outras regiões, o que demonstra a viabilidade do festival do ponto de vista de economia, cultura e turismo. Para o próximo ano queremos ampliar a divulgação de Jaraguá do Sul como destino turístico desta época do ano, para atrairmos visitantes do Brasil e de países principalmente do Cone Sul". 

O diretor artístico Alex Klein ressalta a qualidade que o Festival alcançou em sua oitava edição, e diz que a exemplo dos anos anteriores o projeto pedagógico mostrou grandes talentos. "Foi um festival ótimo, superou todas as nossas expectativas. Estes alunos maravilhosos foram colocados frente a desafios e hoje posso dizer que somos orgulhosos da qualidade que estão apresentando", afirmou. Klein lembra que desde a primeira edição, em 2006, mais de 60 estudantes que passaram pelo Femusc conquistaram a chance de aprimorar seus estudos por meio de bolsas concedidas por instituições de ensino no exterior. "Vamos ter novidades muito em breve. Outros alunos serão selecionados a partir desta edição", acredita. 

Segundo ele há alunos que vêm ao Femusc com o objetivo específico de serem ouvidos pelos mestres e assim poderem concorrer a bolsas, como foi o caso do violinista peruano Eduardo Rios, jovem de 16 anos que esteve na edição 2012. Embora com a pouca idade, ele já atuava na Orquestra do Perú e veio ao Femusc motivado pela oportunidade de avançar nos estudos. Acabou alcançando a primeira vaga concedida a um femuscano na Universidade de Colburn School of Music, de Los Angeles (EUA), uma das mais importantes instituições de ensino e com nível rigoroso de exigência, atesta o diretor artístico. 

"Isto fez com que tivéssemos para a edição 2013 um número maior de jovens peruanos, a exemplo de representantes de outros países e mesmo de estados brasileiros, porque todos vislumbram uma perspectiva de avançarem nos estudos e nas suas carreiras como músicos". Alex assinala que há uma intenção da direção do Femusc para que diretores de escolas internacionais venham ao Festival para realizar audições e com isso o Femusc amplie as oportunidades aos estudantes. "Há possibilidades de descobrirmos muito mais talentos. No Femusc os estudantes encontram um planejamento que lhes impõe a condição de mostrarem suas qualidades, com uma jornada de 14 horas diárias de estudos e o convívio com professores de elevado espírito humanitário", completa.

Eduardo Rios retribui o carinho que recebeu durante a estada no Femusc. "Foi uma das melhores experiências da minha vida, não apenas por ter feito grandes amizades ou por conhecer a beleza de Jaraguá do Sul, mas também porque me deu chance de melhorar no violino. Fiquei impressionado com a qualidade do festival, o que permitiu que conhecesse professores de prestígio internacional". 

Alex lembra que esta não foi a primeira vez que um violinista "top" no Femusc obteve bolsa de estudos. Antes de Eduardo, o argentino Jeremias Velazquez recebeu bolsa para estudar com a professora Miriam Fried no New England Conservatory, em Boston. "Estudar violino no Femusc é mais difícil que passar no vestibular em algumas universidades. São 80 vagas, e mais de 300 inscrições. Para entrar no Programa Avançado do Femusc, os alunos devem enviar gravação e ser muito atentos ao repertório e na demonstração de suas habilidades. Uma vez que entram, recebem a atenção de grandes mestres internacionais, como os professores Leon Spierer, Andres Cardenes,  Simon Bernardini e Charles Stegeman". 

Outros alunos também tiveram a chance em outras escolas, como Ingrid Capparelli Gerling e Mariana Lanes Wood, que receberam bolsas em 2006, Carla Regio, Renan Barbosa Rodrigues, Rômulo Sprung,  o violinista blumenauense João Stein e o oboísta jaraguaense Ramon Thiago. A lista é ampliada pelo fagotista Abner Silva, que também esteve no Femusc 2012 e atuou como solista em um dos grandes concertos, apresentando a peça Sagração da Primavera, e ganhou vaga no Conservatório de Genebra, Suíça. "O Femusc foi uma experiência excepcional e única. O melhor festival de música que participei, é um projeto preocupado em trazer os melhores professores. Conquistar uma vaga no conservatório de Genebra é algo difícil, devo tudo aos grandes mestres que me ajudaram muito", afirma o musicista que fez parte também da NEOJIBA, programa de formação de núcleos de orquestras e corais infanto-juvenis no Estado da Bahia. 

Idealizador do Femusc e seu diretor artístico, Alex não esconde o entusiasmo cada vez que fala dos jovens que passam pelo evento e alcançam novos vôos em suas carreiras. "É algo que não mensuramos apenas do ponto de vista econômico, mas para que as pessoas entendam o significado de uma bolsa podemos dizer que um aluno desembolsaria mais de 300 mil dólares na sua formação, e com isto tem o seu estudo totalmente sem custos graças ao seu talento e esforço". Ele estima que somados os valores das bolsas dos mais de 30 alunos do Femusc chega-se a algo em torno de 3 a 4 milhões de dólares. 

Principais números da 8ª edição (2013) 

1.300 inscrições

514 vagas oferecidas no festival-escola

100 vagas oferecidas no Femusckinho

50 vagas oferecidas no Femusc Jovem

60 cursos no total

74 docentes no total

75 pessoas diretamente envolvidas na organização

Cerca de 800 participantes do festival em geral, incluindo os eventos paralelos

28 países representados entre professores e alunos participantes

19 estados brasileiros representados por professores e alunos

30 mil horas/aula e 3 mil ensaios previstos

Mais de 700 obras executadas, a grande maioria por sugestão dos alunos

14 dias de evento

3,5 mil é a média de público diário nos espetáculos (considerando toda a programação do festival)


50, 1 mil pessoas é o público total dos espetáculos (considerando toda a programação do festival)

220 atividades compondo a programação, com apresentações em Jaraguá do Sul e municípios como Joinville, Blumenau, Pomerode, Timbó, Schroeder e Jaraguá do Sul (sede do evento), além de concertos sociais em shopping, igreja, empresas e presídio

450 empregos diretos e indiretos gerados

R$ 2,1 milhões é o valor do investimento na realização do festival

R$ 6,9 milhões é a estimativa de movimentação econômica no município de Jaraguá do Sul por conta do FEMUSC, resultante dos investimentos atraídos para realização do evento, além de produtos, serviços e contratações diversas que a infraestrutura organizacional demanda

100% da capacidade de hospedagem da rede hoteleira do município e região (2.205 leitos) chega a ser alcançada durante o festival

Atividades econômicas movimentadas em função do festival, além da hotelaria: alimentação, transporte aéreo e terrestre, serviços de locação de espaços, de equipamentos e de instrumentos, serviços de produção e impressão de materiais de divulgação (folders, anúncios etc.) e didáticos (agendas acadêmicas, partituras etc.), e de serviços diversos. 

O Femusc é uma realização conjunta do Instituto Festival de Música, Sociedade Cultura Artística (SCAR), Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional, Vale dos Encantos Convention & Visitors Bureau e Fundação Cultural de Jaraguá do Sul. Tem o patrocínio da WEG, Tractebel Energia, Governo do Estado por meio do Funcultural, Ministério da Cultura por meio da Lei de Incentivo a Cultura, Zanotti, Shell e Prefeitura de Jaraguá do Sul. Com apoio do Grupo Lunelli, Zanotti, Colcci, Celesc Distribuição, Duas Rodas, Urbano Agroindustrial, Católica de Santa Catarina e Consulado dos Estados Unidos no Brasil.

 

 

 

 

 

 

Matérias Relacionadas

Geral

Amvali estuda parceria com IFSC para castração de animais

A ideia é usar a estrutura do campus, para fazer os procedimentos de castração
Amvali estuda parceria com IFSC para castração de animais
Geral

Funcionários dos Correios suspendem greve

Julgamento do dissídio coletivo está marcado para 2 de outubro
Funcionários dos Correios suspendem greve
Segurança

Criança de dois anos e idosa se machucam após queda de nível em Guaramirim

Os Bombeiros Voluntários de Guaramirim, atenderam duas ocorrências de queda de nível nesta terça-feira (17)
Criança de dois anos e idosa se machucam após queda de nível em Guaramirim
PUBLIEDITORIAL

Você quer ser mediano ou Extraordinário?

É comum ouvirmos frases como eu queria ser como aquele cara e ter o que ele tem. Então não perca o Leadership Day - do Ordinário para o Extraordinário
Você quer ser mediano ou Extraordinário?
Ver mais de Geral