Mês do Trânsito - Rádio
Geral

Produtos da Apple custam 28% a mais no Brasil do que em outros mercados

21 Fev 2012 - 11h57

O site da revista de finanças e economia Forbes divulgou mais um estudo que comprova o que todo aficionado da Apple já sabe: os produtos da companhia são mais caros no Brasil. De acordo com a empresa alemã Idealo Internet GmbH, os produtos da Apple no Brasil são 28% mais caros que a média dos demais países.


Um produto da Apple custa, em média, R$ 2.387,79 no Brasil, ou US$ 1.348, mais do que em qualquer outro país, segundo a Idealo. Em segundo lugar na lista dos países onde os produtos com o ícone da maçã mordida sai mais caro está a República Tcheca, onde os consumidores pagam US$ 1.246, em média. Em seguida aparece a Tailândia, com um custo médio de US$ 1.138.

Do outro lado da balança está Hong Kong, onde um produto da Apple custa, em média, US$ 785. A alta tributação dos produtos no Brasil e as tarifas de importação, segundo o artigo da Forbes, seriam responsáveis pelo preço recorde dos produtos da marca no país.

- Depois, há os famosos gargalos de logística de transporte de iPads e iPhones a partir dos portos do Sul e do Sudeste para cidades com, pelo menos, algumas horas de distância de caminhão - escreveu o jornalista da Forbes, Kenneth Rapoza.

Enquanto os produtos da Apple apresentam preços muito diferentes conforme o mercado consumidor, na China uma batalha judicial pode complicar a vida do tablet da companhia. A disputa da empresa pela marca iPad se aprofundou ontem porque a empresa chinesa que se diz dona do nome do produto obteve uma decisão judicial que impede a comercialização do tablet no país asiático.

Xie Xianghui, advogado da Shenzhen Proview Technology, disse que o Tribunal Intermediário Popular da cidade de Huizhou, na província de Guangdong, no sul da China, ordenou na sexta-feira que os distribuidores suspendessem as vendas de iPads no país.

A Apple Inc. respondeu, por meio de nota, que o caso ainda está pendente na China continental. A empresa apelou para o Tribunal Superior de Guangdong contra uma decisão anterior a favor da Proview. A Apple afirma que detém os direitos da marca do iPad na China.


- Compramos os direitos mundiais da Proview em dez países diferentes há vários anos. A Proview se recusa a honrar seu acordo com a Apple na China e um tribunal de Hong Kong tem apoiado a Apple neste assunto - disse a porta-voz da companhia, Carolyn Wu.

A Shenzhen Proview Technology é uma subsidiária da Proview International Holdings, que tem sede em Hong Kong. A empresa registrou a marca iPad na China em 2001 e diz que o nome foi usado para um computador descrito como Dispositivo Pessoal de Acesso à Internet, que empregava a tecnologia de painel de toque. A companhia diz que planeja pedir à agência alfandegária chinesa para bloquear a importação e a exportação de iPads.

 

DIÁRIO CATARINENSE

Matérias Relacionadas

Economia

Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses

Os dados foram apresentados na última quinta-feira (17) no Mapa das Empresas
Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses
Saúde

Cientistas regeneram cartilagem que facilita movimentos

Eles usaram sinais químicos para orientar o crescimento das células-tronco esqueléticas à medida em que as lesões na cartilagem cicatrizam
Cientistas regeneram cartilagem que facilita movimentos
Geral

Setor de turismo lança Guia do Viajante Responsável

Manual traz medidas de prevenção ao novo coronavírus
Setor de turismo lança Guia do Viajante Responsável
Economia

Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo

Indicador está 3,1 pontos abaixo do registrado antes da pandemia
Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo
Ver mais de Geral