Geral

Prefeitura de Jaraguá vai concluir projeto de recuperação ambiental do antigo lixão

Município comprometeu-se com o Ministério Público a fazer a conclusão do projeto executivo, licitar e executar as obras necessárias para a recuperação. O prazo para execução das ações é de 18 meses

07 Jun 2022 - 07h30Por Janici Demetrio
Prefeitura de Jaraguá vai concluir projeto de recuperação ambiental do antigo lixão - Crédito: Divulgação MPSC Crédito: Divulgação MPSC

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e o Município de Jaraguá do Sul firmaram um termo de ajustamento de conduta (TAC) para que o Executivo finalize o projeto executivo, faça a licitação e execute as obras de recuperação ambiental, nas proximidades do Parque Arena, que foi construído na área do antigo aterro de lixo da cidade. O prazo para execução das ações é de 18 meses. 

O TAC foi assinado no fim do mês de maio, após a 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaraguá do Sul, que atua na defesa do meio ambiente, constatar que os sistemas de coleta e tratamento de gases e de efluentes líquidos (chorume) instalados na área do antigo depósito de lixo não estavam funcionando. Esse fato descumpre parte do TAC firmado no ano de 1999, que já previa a recuperação ambiental da área degradada. 

Segundo o Promotor de Justiça Alexandre Schmitt dos Santos, "o município já cumpriu parte do termo assinado no ano de 1999 com a construção do Parque Arena. Porém, agora, como medida de compensação recuperatória, se comprometeu a executar as obras necessárias para a recuperação ambiental, nos arredores do Parque Arena". 

Entre as medidas com que o Município se comprometeu estão a conclusão do projeto executivo, a licitação e a execução das obras necessárias para a recuperação ambiental da área do antigo lixão de Jaraguá do Sul. 

Se houver descumprimento das obrigações estabelecidas no TAC, o Município de Jaraguá do Sul terá que pagar multa correspondente a R$ 100 por dia de atraso, a ser recolhida ao Fundo para Reconstituição dos Bens Lesados - FRBL. 
 

Entenda o caso 

Em 1999, o MPSC, o Ministério Público Federal, a FATMA - atualmente Instituto do Meio Ambiente -, a Associação Comercial e Industrial de Jaraguá do Sul, o IBAMA e o Município de Jaraguá do Sul formalizaram um TAC que previa "a recuperação ambiental da área degradada do atual lixão", mediante a implantação de um projeto de recuperação ambiental.  

Após a assinatura do procedimento administrativo, teve início a execução do projeto de recuperação ambiental, com a implantação das redes coletoras de efluentes gasosos e líquidos (chorume) e a estação de tratamento. Com o passar dos anos e mudanças na administração municipal, o sistema, sem operação desde a implantação, foi danificado. Ainda om a obra da Arena multiuso, os queimadores de gases foram retirados. 

Com a instauração do procedimento, o Município, em 2012, realizou um diagnóstico da área e identificou as medidas necessárias para a recuperação ambiental, principalmente, do passivo ambiental dos efluentes gasosos e do chorume. 

Em 2016, após a contratação de uma empresa especializada, o Município elaborou um projeto executivo das obras necessárias para a recuperação ambiental. O Executivo municipal iniciou, então, a elaboração do projeto de recuperação ambiental de área degradada, que estabelecia obras de infraestrutura a serem implantadas para a recuperação da área do lixão municipal. 

Em continuidade às ações de recuperação ambiental, a administração municipal implantou parte da rede de drenagem pluvial e fez a impermeabilização de parte do terreno, diminuindo a infiltração no solo, reduzindo assim, a produção de chorume. 

Foram realizados o retaludamento de parte da área, uma contenção de cortes laterais no terreno para a estabilização do solo, o replantio de vegetações e a construção do Parque Arena, com área de lazer e prática esportiva. Ainda no local, um ponto de entrega voluntária (PEV) foi instalado para receber resíduos domésticos de grande porte. 

As obras executadas para a recuperação ambiental resultaram em alterações no terreno do lixão, o que exige revisão do projeto topográfico e, consequentemente, de todo o projeto executivo que está em andamento. O TAC firmado no mês de maio reforça a cobrança do Ministério Público na efetivação das ações da Prefeitura de Jaraguá do Sul. 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e região? Participe dos nosso grupos do WhatsApp ou do Telegram! 

Matérias Relacionadas

Geral

Confira as previsões do horóscopo para hoje

Saiba o que os astros reservam para você no amor, vida profissional e viagens
Confira as previsões do horóscopo para hoje
Geral

Jaraguaense Maitê Martins é primeiro lugar em Festival da Canção Entre Rios

Competição de nível estadual ocorreu em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí. Maitê foi premiada na categoria infantil
Jaraguaense Maitê Martins é primeiro lugar em Festival da Canção Entre Rios
Geral

Corpo de empresário Cleber Schulz será cremado neste sábado (13) em Jaraguá

Empresário morreu na manhã desta sexta-feira (12)
Corpo de empresário Cleber Schulz será cremado neste sábado (13) em Jaraguá
Geral

Com mais de 500 inscritos, Guaramirim será palco de Seminário Sobre educação Inclusiva

Evento proposto pelo deputado Dr. Vicente Caropreso acontecerá na próxima segunda-feira
Com mais de 500 inscritos, Guaramirim será palco de Seminário Sobre educação Inclusiva
Ver mais de Geral