Imobiliária Coralli
Pesquisa

População de Jaraguá prioriza saúde, educação e segurança

17 Set 2012 - 14h11

A Pesquisa Fecomércio de Percepção dos Serviços Públicos - Jaraguá do Sul é o segundo estudo divulgado pela Fecomércio SC, entre uma série de levantamentos, que mostram a avaliação dos catarinenses a respeito dos serviços públicos em sete cidades do estado.


Em Jaraguá do Sul, os dados foram apresentados na noite de sexta-feira, às 19h, no Sindicato do Comércio Varejista de Jaraguá do Sul (Sicomércio), durante reunião de vice-presidentes da Fecomércio na região norte. O evento é aberto à imprensa e ao público e deverá contar com a presença de candidatos às eleições de outubro, além de parlamentares catarinenses.

Resultados

Os pesquisadores da Fecomércio SC ouviram 421 moradores de Jaraguá do Sul de maneira aleatória. Notou-se que o universo feminino (55,1%) predomina sobre o masculino (44,9%), e que a faixa etária está distribuída entre jovens e adultos. Também foram maioria os casais (48,2%) e os solteiros (37,8%). De rendimentos, na maior parte das vezes (81%) da classe média. A cidade também apresentou um baixo déficit de escolaridade: 33,5% têm ensino médio completo; 7,8% estão cursando o ensino superior e 12,8% já concluíram o ensino superior.

Os entrevistados deram notas de 0 a 5 para dez diferentes serviços públicos da cidade. São eles: saúde, educação, preservação ambiental, segurança, transporte, água e esgoto, limpeza, cultura e lazer, habitação e estrutura urbana.

Em geral, a nota atribuída aos serviços públicos de Jaraguá do Sul foi 3,42. O item melhor avaliado foi a limpeza da cidade, com nota 3,8, o que se repetiu na pesquisa em Blumenau. Preservação ambiental e habitação também foram itens bem vistos pelos jaraguaenses. Ambos tiveram nota 3,63. Ainda bem colocados, aparecem a estrutura urbana (3,59), a educação (3,5) e os serviços de água e esgoto (3,42).

Pouco abaixo da média aparecem os investimentos em cultura e lazer (3,3), a saúde (3,25) e a segurança (3,15). E, na última colocação, o transporte da cidade aparece com nota de 2,94. Para a Fecomércio SC o dado não surpreende, já que a alta nas vendas de automóveis observada no país nos últimos anos, unido à falta de planejamento em mobilidade urbana, acabaram por acentuar o problema.

Na análise por gênero, houve equilíbrio entre as repostas de homens e mulheres, que deram aos serviços públicos notas semelhantes. A nota geral dada por eles foi 3,41, enquanto a nota das mulheres alcançou 3,43. Ainda para os homens os itens segurança e transporte foram os mais criticados, e para elas além do transporte também tiveram nota menor a cultura e o lazer.


Em relação às idades, os números gerais mostram convergência, com destaque para a avaliação mais positiva das pessoas com mais de 60 anos. Não houve diferenças significativas nas notas gerais dadas pelos que têm entre 16 e 25 anos (3,4); o grupo de 26 a 35 anos (3,46); para as idades entre 36 e 15 (3,24); para os jaraguaenses de 46 a 60 anos (3,49) e, ainda, os que têm mais de 60 anos de idade (3,62).

O grau de escolaridade dos entrevistados teve influência maior sobre os resultados. Entre a primeira e a última qualificação houve diferença de 1,39 pontos. A nota geral dada para os dez serviços públicos por aqueles que possuem ensino básico incompleto foi 3,87. Enquanto os entrevistados com pós-graduação avaliaram os serviços em questão pela nota geral 2,48.

De mesma forma, o cruzamento dos dados segundo renda familiar também revelou resultados distintos. Os integrantes da classe A, com renda superior a R$ 6.300,00, deram nota mais alta: 4,67. Já as notas gerais de 3,44 e 3,43 foram atribuídas por aqueles que fazem parte das classes D e C, com rendimentos que vão de R$ 706,00 a R$ 4.854,00. E os pertencentes à classe B, com salários entre R$ 4.855,00 e R$ 6.329,00 deram nota geral 2,88.

Prioridades

A Pesquisa Fecomércio também perguntou aos habitantes de Jaraguá do Sul quais seriam os dois serviços prioritários, dentre as dez opções avaliadas por eles anteriormente. Por ordem de importância, a resposta mais citada pelos habitantes foi saúde e educação. Em outro momento, em relação ao segundo ponto de prioridade da cidade, a educação assume a preferência, seguida pela segurança.

Assim, na avaliação da Fecomércio SC, a Pesquisa de Percepção dos Serviços Públicos - Jaraguá do Sul se insere como importante instrumento para a gestão pública local nos próximos anos, apontando anseios da população e ajudando a indicar caminhos a serem seguidos. O momento em que os dados são revelados também é propício, já que os debates eleitorais para as eleições municipais de outubro vêm mobilizando os cenários político e social das cidades.

Matérias Relacionadas

Economia

FGV: confiança do empresário sobe pelo terceiro mês seguido

Taxa subiu 7,1 pontos de junho para julho
FGV: confiança do empresário sobe pelo terceiro mês seguido
Economia

População desocupada sobe para 12,4 milhões em julho, diz IBGE

Dados fazem parte da Pnad covid-19 divulgada hoje pelo instituto
População desocupada sobe para 12,4 milhões em julho, diz IBGE
Saúde

Pesquisadores desenvolvem tecido capaz de matar o vírus da covid-19

O estudo está sendo efetuado por institutos brasileiros
Pesquisadores desenvolvem tecido capaz de matar o vírus da covid-19
Santa Catarina

Estiagem em SC: Com chuva mal distribuída, municípios continuam em alerta

Conforme dados, entre 286 municípios monitorados, 214 estão em estado de normalidade, 56 em atenção, 13 em alerta e 3 em crítico
Estiagem em SC: Com chuva mal distribuída, municípios continuam em alerta
Ver mais de Geral