Geral

Polícia Militar de Joinville treina policiais que usam a pistola Taser

28 Mar 2012 - 13h47

A morte de Carlos Barbosa Meldola, 33 anos, no último fim de semana em Florianópolis, após levar um choque de policiais militares reacendeu uma antiga discussão. O homem foi a primeira vítima oficial da pistola Taser em Santa Catarina, uma arma considerada não-letal e que dispara choques elétricos.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública optou por manter o uso do equipamento, mesmo depois do episódio. A arma é usada pela PM no Estado desde 2008. E em Joinville desde 2010. Aqui, na cidade, a Taser foi usada em cerca de 30 ocorrências e não registrou problemas. A PM reforça que está preparada para usar a arma.

A arma não-letal, fabricada por uma empresa norte-americana Taser, não pode ser usada por qualquer pessoa. Assim como para usar revólveres, pistolas e fuzis, os policiais passam por um treinamento para usar a arma não-letal.

Em Joinville, dois oficiais foram habilitados pela fabricante, em um curso que foi realizado na Capital. O capitão Marcelo Venera, do 8º Batalhão, é um deles.

Ele já administrou o curso, que tem dez horas de aulas teóricas e cinco de aulas práticas, para cerca de 200 policiais na região. Durante as aulas, os soldados aprendem como funciona o equipamento, em qual momento ele deve ser empregado e quando ele não pode ser usado.

Os participantes do curso precisam até mesmo sentir na pele o choque que é aplicado. Sinais elétricos chamados Ondas-T atuam no sistema nervoso central e provocam a perda de controle do corpo. A pessoa que foi atingida cai após o choque e pode ficar com dores musculares por algumas horas.

- Eles precisam saber dos efeitos para usar -, esclarece o capitão.

Ao fim do curso, é aplicada uma prova escrita com 40 questões. Somente os que acertarem 32 ou mais respostas estarão habilitados.

Em Joinville, o 8º BPM tem cerca de 40 policiais habilitados para usar as nove armas Taser disponíveis, afirmou o capitão Venera. Já de acordo com o subcomandante do 17º BPM, major Hilário Zils, o batalhão possui três armas Taser e 16 pessoas - todos pertencentes ao Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) - habilitadas para usá-las.

- Nossa ideia é capacitar todos os policiais. Os 52 novos soldados, em seu curso de formação, já sairão para as ruas preparados para usar o equipamento -, diz o capitão Venera.

JORNAL DE SANTA CATARINA

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Concluídas pavimentações em mais duas ruas de Jaraguá

Mais de 30 obras estão em andamento neste momento no município, com investimento de mais de R$ 30 milhões.
Concluídas pavimentações em mais duas ruas de Jaraguá
Economia

Emissão de alvarás de construção em Jaraguá cresce quase 70% em 2021

Nos três primeiros meses deste ano, a Prefeitura emitiu 366 alvarás de construção. Contra 218 no mesmo período do ano passado
Emissão de alvarás de construção em Jaraguá cresce quase 70% em 2021
Geral

Prefeitura firma parceria para repasse de recursos para a Apae de Guaramirim

Valor repassado será de R$ 730 mil 
Prefeitura firma parceria para repasse de recursos para a Apae de Guaramirim
Geral

Cinco hábitos essenciais para manter o seu imóvel seguro

Aprenda dicas importantes para manter sua casa sempre segura. Proteja o seu imóvel em Jaraguá do Sul
Cinco hábitos essenciais para manter o seu imóvel seguro
Ver mais de Geral