Caraguá
Geral

Pesquisa vai traçar o perfil da população idosa de Jaraguá do Sul

O diagnostico do idoso já conta com 900 entrevistas e segue até o mês de setembro

26 Jul 2021 - 16h28Por Janici Demetrio
Pesquisa vai traçar o perfil da população idosa de Jaraguá do Sul - Crédito: Arquivo / Divulgação Crédito: Arquivo / Divulgação

A Prefeitura de Jaraguá do Sul em parceria com o Instituto Anima Unisociesc, está desenvolvendo uma pesquisa que tem como objetivo traçar o perfil dos idosos residentes no município.

O diagnóstico do idoso – como está sendo chamado o trabalho – conta com recursos do Fundo Municipal do Idoso. As entrevistas estão sendo feitas por telefone e 900 idosos já responderam ao questionário. Mas, segundo o coordenador do projeto, Tiago Souza dos Santos, ainda há muito trabalho pela frente.

“As entrevistas estão ocorrendo e é muito importante que o idoso que receber nossa ligação, participe da pesquisa, respondendo as perguntas que serão feitas”, informa.

Pelos dados obtidos até agora, os pesquisadores já sabem que 70% dos idosos de Jaraguá do Sul (contatados até agora), não nasceram aqui. Os homens, continuam chegando no mesmo fluxo desde os anos 1970, já as mulheres, a maior parte chegou aqui na década de 70 e 80.

A maioria dos idosos mora apenas com o cônjuge (42,6%), sozinhos, são a minoria (11,2%). De acordo com os pesquisadores, esses dados são semelhantes a países desenvolvidos e indicam que os idosos mantém um nível bom de capacidade funcional e independência, entretanto, o índice de idosos que precisam de cuidador é de 8,6%, ou seja, praticamente um a cada 10 idosos não consegue fazer tudo sozinho, sendo dependente de alguém para realizar as suas atividades diárias.

Buscam atendimento de saúde na rede pública 70% dos entrevistados e somente 23% têm plano de saúde. O acesso a medicamentos se dá via unidade básica de saúde, mas também, via farmácias comerciais. Apenas 10% relatam usar o programa da farmácia básica e 5,6%, farmácia especializada. Usam medicamentos contínuos 86,2% dos idosos; 29% deles gastam entre R$ 100 e R$ 300 por mês; 12% gastam entre R$ 300 e R$ 500 e 5,5% gastam entre R$ 500 e mil reais.

Gastos com saúde e habitação consomem a maior parte da renda dos idosos que ganham até um salário mínimo, já entre os que ganham mais, alimentação representa o gasto maior.

O diagnóstico do idosos deve ser entregue até o mês de setembro e segundo o secretário de Assistência Social e Habitação, André de Carvalho Ferreira, há uma grande expectativa quanto aos números finais da pesquisa.

“Para a secretaria será fundamental o resultado deste diagnóstico, pois, teremos informações mais claras a cerca das demandas relacionadas a eles e, assim, poderemos ter políticas públicas bastante assertivas em relação aos idosos”, pontua.

O levantamento, inédito, envolve uma amostra de 10% das 17.325 pessoas com mais de 60 anos da cidade, seguindo o cadastro do sistema Olostech, base 2020. O projeto inicial envolve 958 mulheres (55,32%) e 774 homens (44,67%). A pesquisa iniciou em agosto de 2020.

Importante salientar que o entrevistador, ao contatar o idoso, não solicita dados relacionados a conta bancária, CPF ou quaisquer números de documentos pessoais

 

Outros dados levantados até agora

- A complicação de saúde mais comum entre os idosos afeta o sistema cardiovascular, com 65,6% apresentando tal problema; em seguida, estão as doenças osteomioarticulares (26,7%) e diabetes (25,4%). Estas três grandes complicações afetam principalmente idosos que não são praticantes de atividade física, principalmente os homens. Dentre os praticantes, mais de 60% não relata problemas de saúde; já entre os sedentários, este índice baixa para 40%.

- O público mais comum em todos os equipamentos públicos voltados para a saúde é o feminino: academias de saúde 72% e grupos de idosos,74%, mostrando que o homem idoso tem mais resistência ou não tem interesse em procurar tais espaços.

- 12,7% dos idosos já sofreram algum tipo de violência durante a vida, 9,4% sofreram quando idoso.

- Casos de violações contra os direitos dos idosos aumentaram nos anos de 2019 e 2020 e afetam principalmente os idosos do sexo masculino; dentre as violações mais comuns estão os furtos, estelionato e ameaças.

- A mulher idosa é a maior vítima de violência doméstica (7x mais que os homens). Dentre as mulheres, faixa etária que mais sofre violência é justamente a mais jovem, entre 60 e 65 anos. Dos casos de violência doméstica contra mulher, boa parte é cometida pelo próprio marido.

- Dentre os homens, os casos registrados (apenas um em 2019 e cinco em 2020) foram contra idoso acima dos 72 anos.

Matérias Relacionadas

Geral

Jaraguá já conta com nova prestadora de limpeza urbana

Nesta semana, funcionários da empresa já promoveram a limpeza de algumas localidades do Município com o bairro Nereu Ramos.
Jaraguá já conta com nova prestadora de limpeza urbana
Geral

Jaraguá em Dança conta com noite de abertura para os coreógrafos

Evento desta noite, destinado para os coreógrafos, conta com apresentação especial. Os ingressos para o público serão distribuídos na bilheteria da Scar, dois dias antes de cada sessão
Jaraguá em Dança conta com noite de abertura para os coreógrafos
Geral

Jaraguá do Sul é destaque nacional novamente

Regime Próprio de Previdência Social do município é um dos 15 com melhor indicador de avaliação do País
Jaraguá do Sul é destaque nacional novamente
Geral

Campanha 'Meu Fort dá Sorte' finaliza com mais de 14,5 milhões de cupons gerados e quase meio milhão

Ação promocional foi alusiva ao aniversário do Fort Atacadista e sorteou 22 automóveis
Campanha 'Meu Fort dá Sorte' finaliza com mais de 14,5 milhões de cupons gerados e quase meio milhão
Ver mais de Geral