Eleições

Pelo menos seis candidatos foram mortos a tiros durante a campanha

29 Set 2016 - 11h32
Ao menos seis candidatos já foram mortos durante a campanha eleitoral no Brasil. Nessa quarta-feira (28), um atirador matou José Gomes da Rocha (PTB), candidato à prefeitura de Itumbiara, e feriu o vice-governador de Goiás, José Eliton (PSDB), durante uma carreata na cidade, que fica a cerca de 190 quilômetros da capital, Goiânia.

Eliton foi atingido na barriga e levado para um hospital da região, onde passou por cirurgia. Ele foi transferido para o Hospital de Urgências Doutor Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia, em uma UTI aérea.

Em nota, o governo de Goiás informou que Eliton não corre risco de morrer.

Alguns dias antes, o presidente da Portela e candidato a vereador no Rio de Janeiro pelo PP, Marcos Vieira de Souza, conhecido como Marcos Falcon, foi assassinado a tiros na segunda-feira (26) no subúrbio da capital fluminense, em Campinho, durante um comício em frente ao comitê de campanha dele. A Polícia Civil investiga quem foi o autor dos disparos.

Ainda no Rio, um candidato a vereador de Itaboraí foi morto no último domingo (25) durante uma caminhada política na cidade da Região Metropolitana da cidade. José Ricardo Guimarães, conhecido como Capitão Guimarães (PTC), era policial militar da reserva.

Ele também era coordenador de campanha do atual prefeito e candidato a reeleição, Helil Cardozo, do PMDB.

No começo desta semana, no Rio Grande do Norte, o vereador candidato à reeleição Manoel Clementino do Carmo (PMDB) foi morto a tiros durante uma carreata política na cidade de Serrinha dos Pintos. Policial militar da reserva tinha 56 anos. Um homem abriu fogo contra a multidão, matando o vereador.

No início do mês, o vereador José Cláudio Carvalho Borges (PSDB) foi morto enquanto participava de um comício, na cidade de Barra, na Bahia. Os atiradores estavam de moto quando efetuaram os disparos e estão foragidos.

Já em agosto, o candidato a vereador no Guarujá, litoral de São Paulo, Cerciran dos Santos Alves (PSDB), foi assassinado com vários tiros perto do seu comitê de campanha. Conhecido como Celso do Transporte, ele morreu dentro do carro dele.

 

As informações são da

Rede Bandeirantes

 

Matérias Relacionadas

Geral

Governo destinará R$ 500 milhões para proteger mata nativa da Amazônia

Programa Floresta+ começa com projeto-piloto no Norte do país
Governo destinará R$ 500 milhões para proteger mata nativa da Amazônia
Variedades

Além de eclipse, julho terá chuva de estrelas cadentes

Para assistir, a dica é olhar para o leste
Além de eclipse, julho terá chuva de estrelas cadentes
Saúde

Felicidade produz serotonina capaz de reduzir infecções no intestino: estudo

A descoberta é de um estudo da Universidade Southwestern, dos EUA
Felicidade produz serotonina capaz de reduzir infecções no intestino: estudo
Corupá

População poderá utilizar espaços públicos neste final de semana em Massaranduba

A Prefeitura de Massaranduba ressalta a importância das medidas de prevenção contra o coronavírus, necessárias nesse momento
Ver mais de Geral