Mercado

Oferta de leite cai e preço sobe no mercado catarinense

21 Jun 2016 - 13h22
As condições climáticas afetaram diretamente o mercado de lácteos. O excesso de chuvas no Sul do Brasil e a seca no Centro-Oeste reduziram a oferta de leite no mercado interno, forçando para cima os preços dessa matéria-prima. Refletindo essa situação altista, o Conselho Paritário Produtor/Indústria de Leite do Estado de Santa Catarina (Conseleite) anunciou nesta semana os novos valores de referência para este mês com aumento de 7 a 9 centavos (ou 7%) sobre os preços do mês anterior.

O Conseleite projetou assim os valores para este mês de junho: leite acima do padrão aumenta 9 centavos e vai para R$ 1,4085; leite padrão aumenta 8 centavos para R$ 1,2248 e leite abaixo do padrão aumenta 7 centavos par R$ 1,1135.

O vice-presidente do Conseleite e também vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (FAESC) Adelar Maximiliano Zimmer observa que a diminuição na oferta, decorrente basicamente da menor produção de leite, deve manter-se nos próximos meses, confirmando o viés de alta.

O produtor e membro do Conseleite/SC José Araújo aponta outros motivos que também contribuíram com a redução da produção de leite: o clima prejudicou a recuperação das pastagens, o custo da nutrição subiu muito e muitos criadores venderam parte do plantel de vacas leiteiras para abate em razão da forte valorização da carne bovina.

Araújo prevê que o preço do leite no varejo continuará em alta pelo menos até setembro, quando as pastagens começam a melhorar e a produção reagirá. “Os preços não baixarão nos próximos meses porque, além da escassez da matéria-prima, os custos de produção se manterão elevados”, acrescenta.

“Os preços praticados pelas indústrias na aquisição da matéria-prima leite dos produtores rurais subirão, mas os custos também acompanharão essa escalada”, prevê o vice-presidente regional da FAESC. Energia elétrica, combustíveis, rações e insumos encareceram intensamente nos últimos 12 meses.

Consolida essa tendência o preço anunciado para junho pela Coopercentral Aurora Alimentos, uma das maiores processadoras de leite da região,  no Grande Oeste Catarinense de R$ 1,45 por litro na aquisição de leite dos produtores cooperados.

Santa Catarina é o quinto produtor nacional, o Estado gera 2,8 bilhões de litros/ano. Praticamente todos os estabelecimentos agropecuários produzem leite, o que gera renda mensal às famílias rurais e contribui para o controle do êxodo rural. O oeste catarinense responde por 73,8% da produção. Os 80.000 produtores de leite (dos quais, 60.000 são produtores comerciais) geram 7,4 milhões de litros/dia.

 

 

Fonte: EconomiaSC

Matérias Relacionadas

Geral

Transformação digital pode gerar grande impacto econômico global

O tema foi debatido nesta quarta-feira (13) em workshop da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em Brasília
Transformação digital pode gerar grande impacto econômico global
Brasil

Planta unha-de-gato pode combater tumores, descobrem cientistas brasileiros

A planta está na lista medicinal do SUS há mais de 10 anos
Planta unha-de-gato pode combater tumores, descobrem cientistas brasileiros
Educação

Carregador de celular com energia solar é criado por alunos de 13 anos

Bruno Henrique Muniz Meira e Gabriel Guimarães Prates, ambos com 13 anos, estudam no 8º ano da Escola Estadual João Arruda Brasil
Carregador de celular com energia solar é criado por alunos de 13 anos
Geral

Brasileira selecionada para missão espacial poderá ser 1ª astronauta do país

Dos seis jovens escolhidos, entre profissionais de várias nacionalidades, cinco são mulheres
Brasileira selecionada para missão espacial poderá ser 1ª astronauta do país
Ver mais de Geral