GERAL

No Anhembi, escolas negam polarização, mas dão tom político

01 Mar 2019 - 08h35Por Gilberto Amendola

As escolas de samba de São Paulo negam qualquer intenção de reproduzir a polarização do universo político na avenida e não querem nem ouvir falar de direita ou esquerda. A tendência, pelo menos no Anhembi, é de pouca crítica ou elogio ao atual governo e seus personagens.

Ainda assim, com um pouco de atenção, é possível destacar uma curiosa sequência de desfiles na madrugada deste sábado, 2, no carnaval de avenida em São Paulo. Às 2h30, entra no sambódromo a Acadêmicos do Tucuruvi, com o enredo Liberdade - O Canto Retumbante de um Povo Heroico. Depois dela (às 3h35), será a vez da Acadêmicos do Tatuapé, com o enredo Bravos Guerreiros. Por Deus, Pela Honra, Pela Justiça e Pelos que Precisam de Nós.

As duas escolas de samba tratam de política, mas com narrativas que soam opostas. Na Tucuruvi, por exemplo, o foco é nos movimentos sociais e em manifestações, como Parada Gay e greve dos professores (com destaque para o último carro, tratará do embate eleitoral entre Ele Sim e Ele Não - expressões usadas por detratores e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro durante a campanha, no ano passado).

Além disso, o samba da Tucuruvi traz referências a músicas de Caetano Veloso ("Caminhar contra o vento, eu vou...), Geraldo Vandré ("Quem sabe faz a hora, não espera acontecer..."), Chico Buarque ( "Apesar de você...") e ao cancioneiro da sambista Clara Nunes.

Já a Acadêmicos do Tatuapé segue pela linha do patriotismo e amor ao País: "Sou brasileiro…/Vou defender minha nação/Oh Pátria amada idolatrada não chores em vão/Sou brasileiro…". O presidente da escola, Eduardo dos Santos, nega qualquer intenção política no desfile da escola. "Não pode ter militância, não pode ter ideologia. Na escola, temos componentes de direita e de esquerda, o nosso papel social é abrigar todas as pessoas."

Outras

A noite começa às 23h15 desta sexta-feira com a Colorado do Brás, com o enredo Hakuna Matata Isso é Viver. A agremiação vem com um tema recorrente nas escolas de São Paulo, a cultura negra e a África - principalmente o Quênia. A Mancha Verde, que desfila à 1h25, também tem a cultura africana como ponto de partida. Ela vai falar do Congo e seus Orixás.

Segunda escola a desfilar, o Império da Casa Verde traz o momento mais pop dos sambódromo, com o enredo O Império Contra-Ataca. Além da óbvia autorreferência, a escola vai brincar com a ideia de Star Wars ("Tudo vai se transformar, tudo pode acontecer/ Imperiano, que a força esteja com você"). É possível esperar sabres de luz e até um Darth Vader cruzando a avenida. No mais, o desfile será todo pontuado por personagens e momentos cinematográficos.

Já a X-9 Paulistana, que será a penúltima na avenida, sofreu uma baixa de última hora. O homenageado pela escola, o sambista Arlindo Cruz (que completou 60 anos), não estará presente no desfile. Mesmo liberado pela equipe médica que o acompanha (ele sofreu um acidente vascular cerebral há dois anos), a família não o trará para o desfile. "O maior entrave para a confirmação da viagem do artista para o desfile da escola de samba se deu em torno do custo da infraestrutura de equipes, médica, produção e de segurança, além de transporte e transfer especial para que todo esse trâmite fosse feito livre de perigo", diz a nota da família no perfil do Instagram de Babi Cruz, mulher de Arlindo.

Fé x ciência

Fecha a noite a escola Tom Maior, que vem com o enredo Penso... Logo existo - As Interrogações do Nosso Imaginário em Busca do Inimaginável. A agremiação vai misturar religião com teoria da evolução no mesmo samba. A oposição entre fé e ciência deve encerrar o primeiro dia do Anhembi com alguma polêmica. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Casal de turistas fica esquecido na roda gigante em Balneário Camboriú

Fato ocorreu na noite de terça-feira (11)
Casal de turistas fica esquecido na roda gigante em  Balneário Camboriú
Geral

Finalizada mais uma etapa da Izídio Carlos Peixer 

Agora, obra segue com execução das calçadas, troca de iluminação e instalação dos postes  
Finalizada mais uma etapa da Izídio Carlos Peixer 
Geral

Projeto inclui a penalidade de advertência na coleta seletiva em Jaraguá

No regramento atual era aplicada somente a penalidade de multa, que poderia ser de 10 a 30 UPMs. Com a mudança, agora uma advertência será aplicada aos catadores que forem flagrados cometendo a infração
Projeto inclui a penalidade de advertência na coleta seletiva em Jaraguá
Geral

Rio Cerro I e II irão receber o segundo Jaraguá em Ação nos Bairros

A exemplo do que aconteceu no primeiro mutirão, em março, na Barra do Rio Cerro
Rio Cerro I e II irão receber o segundo Jaraguá em Ação nos Bairros
Ver mais de Geral