Geral

MPF decide investigar suposto enriquecimento ilícito de Palocci, diz jornal

27 Mai 2011 - 11h04

O Ministério Público Federal teria aberto uma investigação para apurar o suposto enriquecimento ilícito do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. De acordo com reportagem publicada nesta sexta-feira pelo jornal Folha de S.Paulo, o foco da ação é apurar se a evolução patrimonial do ministro é compatível com os ganhos de sua empresa. No ano passado, a empresa de consultoria de Palocci, a Projeto, teve um faturamento bruto de R$ 20 milhões e o ministro teria multiplicado seu patrimônio por 20 em quatro anos (2006-2010) - período em que ele foi deputado federal e consultor.

De acordo com o jornal, o Ministério Público do Distrito Federal pediu ontem à Receita Federal cópia da declaração do Imposto de Renda da empresa. A Projeto terá que informar - nos próximos 15 dias - a relação de seus clientes e serviços prestados, como cópia de pareceres e registros de reuniões. Caso contrário, Palocci pode responder por improbidade administrativa, o que significa "auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo" ocupado.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, também pediu informações a Palocci para decidir se abre investigação contra o ministro na área criminal. O procurador avalia, por exemplo, se houve tráfico de influência.

Até ontem, Palocci não havia enviado a justificativa à Procuradoria-Geral. No entanto, o ministro adiantou para senadores algumas das explicações encaminhará para a Procuradoria-Geral. Palocci disse que "era bem pago, sim" pelos serviços de consultoria e garantiu estar "tranquilo" quanto à legalidade de suas atividades na empresa Projeto.


Dilma defende Palocci em evento

Também ontem, a presidente Dilma fez uma defesa veemente de Palocci durante uma solenidade pública de assinatura de convênios para a construção de quadras esportivas em escolas, na qual o ministro estava presente.

- Palocci está dando todas as explicações. Espero que essa questão não seja politizada como (foi) ontem - disse a presidente, numa referência à questão levantada pelo PSDB em torno da restituição do imposto de renda da empresa WTorre, para a qual o ministro Palocci prestou consultoria.

Dilma considerou o episódio "lastimável" e explicou que a Receita Federal demorou dois anos para fazer a restituição do imposto de renda à empresa e que uma decisão judicial determinou o pagamento.

- Não se trata de nenhuma manipulação. Lamento essa questão estar sendo politizada. O Palocci está dando todas as explicações - reafirmou Dilma, completando que o ministro continuará prestando todos os esclarecimentos sobre o aumento do seu patrimônio nos últimos anos.

 

 

Fonte: ZERO HORA

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira
Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Geral

Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo

Os usuários que estacionarem na Zona Azul da cidade e não efetuarem o pagamento, continuarão a receber o Aviso de Cobrança de Tarifa, mas somente poderão efetuar a quitação no prazo de até 10 minutos a partir do horário de emissão do aviso
Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo
Saúde

Havan ajuda na compra de dois respiradores

Um deles foi doado para o Samu de Joinville e o outro para Barra Velha. Ambos vão atender os pacientes do município quando precisam ser transportados com urgência para hospitais da região
Ver mais de Geral