transito
GERAL

'Ministro, contrate um assessor jurídico', diz Janaina sobre e-mail do MEC

26 Fev 2019 - 10h04Por Matheus Lara

A deputada estadual eleita Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, pelo envio de e-mail a escolas de todo o País com orientação para que alunos fossem filmados cantando o hino nacional.

"Ministro, contrate urgentemente um assessor jurídico, especialista em ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)", escreveu Janaina nesta terça no Twitter. "Não se pode sair filmando as crianças (isso vale para os amantes de face, insta, etc). Ademais, primeiro realize algo concreto e os elogios virão naturalmente."

Ao rebater comentários de que o e-mail poderia se configurar como um crime de responsabilidade, como a acusação que fundamentou o pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT) e da qual Janaina foi coautora, ela diz que a mensagem enviada pelo MEC é "surreal".

"Estou me divertindo, vendo a moçada, que vive bradando que o impeachment (de Dilma) foi golpe, tentar transformar um e-mail do Ministro da Educação em crime de responsabilidade. É verdade que o e-mail foi surreal, mas esse pessoal não enxerga o ridículo da desproporção das próprias reações."

Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo, no e-mail enviado às escolas, a carta assinada pelo ministro termina com o slogan da campanha eleitoral de Jair Bolsonaro, "Brasil acima de tudo. Deus acima de todos".

"Prezados Diretores, pedimos que, no primeiro dia da volta às aulas, seja lida a carta que segue em anexo nesta mensagem, de autoria do Ministro da Educação, Professor Ricardo Vélez Rodríguez, para professores, alunos e demais funcionários da escola, com todos perfilados diante da bandeira do Brasil (se houver) e que seja executado o hino nacional", diz a mensagem.

Gilmar Mendes

Janaina também comentou as investigações da Operação Lava Jato no Rio, que colocaram o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, como alvo em apuração da Receita que mira ao todo 134 agentes públicos. O procedimento atingiu a mulher do presidente do STF, Dias Toffoli, e a ministra do Superior Tribunal de Justiça Isabel Gallotti.

Em entrevista à rádio BandNews, o ministro afirmou ter sido alvo de "arapongagem" (espionagem) a pedido de procuradores da República e juízes. O jornal Folha de S.Paulo informou que Mendes teria dito: "Sou do Mato Grosso. Lá a gente lida com chantagista assim: é matar ou morrer".

Para Janaina, a situação é grave. "Até agora, eu estava compreendendo as falas do Ministro Gilmar Mendes como retórica. No entanto, ele insiste em falar em chantagem, chega a falar em 'matar ou morrer', frente à chantagem. Considero a situação grave. Não estamos diante de um político, que muitas vezes exagera nas cores de suas falas. Estamos diante de um Ministro do Supremo Tribunal Federal."

A deputada cobra a abertura de inquérito e esclarecimentos por parte do ministro. "A Procuradoria Geral da República precisa iniciar um inquérito e chamar o ministro a depor. A situação é muito grave", escreve. "(Ele) precisa ser claro: 1) Quem está sendo chantageado? 2) Por que um Ministro do STF está sendo chantageado? 3) Quem é o autor da chantagem? 4) Qual a exigência do chantagista? No lugar de investigar a investigação da Receita, é preciso apurar a chantagem."

Matérias Relacionadas

Geral

Confira as previsões do horóscopo para hoje

Saiba o que os astros reservam para você no amor, vida profissional e viagens
Confira as previsões do horóscopo para hoje
Trânsito

Vandalismo ou tentativa de furto deixa ponte às escuras na região central de Jaraguá do Sul

Sistema foi religado de forma paliativa, há necessidade de refazer a instalação
Vandalismo ou tentativa de furto deixa ponte às escuras na região central de Jaraguá do Sul
Geral

Comboio de Jaraguá do Sul chega a Roca Sales

A equipe de servidores da Prefeitura, com máquinas e caminhões, chegou agora à tarde para ajudar nos trabalhos de reconstrução da região do Vale do Taquari
Comboio de Jaraguá do Sul chega a Roca Sales
Geral

Lula sanciona volta da cobrança do DPVAT, mas veta multa por não pagamento

Nova taxa prevê pagamento de serviços médicos a vítimas de acidentes
Lula sanciona volta da cobrança do DPVAT, mas veta multa por não pagamento
Ver mais de Geral