Geral

Metalúrgicos da GM aprovam acordo que irá preservar pelo menos 750 empregos

28 Jan 2013 - 13h45

Os empregados do primeiro turno de hoje (28), do complexo industrial da General Motors, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, aprovaram, em assembleia, o acordo fechado no último sábado (26) entre o sindicato da categoria e a empresa, depois de mais de nove horas de negociação. Haverá nova assembleia à tarde, porém será uma avaliação apenas para ratificar a a decisão tomada pela ampla maioria dos cerca de 7,5 mil empregados.


O acordo pôs fim a um impasse que se arrastava há mais de seis meses diante da ameaça de demissões por causa da intenção da montadora de desativar a MVA (Montagem de Veículos Automotores), onde é produzido atualmente o modelo Classic. A empresa voltou atrás e decidiu manter as atividades pelo menos até dezembro deste ano.

Ainda assim, o número de vagas existentes é apenas 750, um pouco menos da metade do quadro considerado excedente (l.598). A partir de amanhã, haverá férias coletivas nessa unidade, com a folga estendida até 14 de fevereiro. Nesse período, segundo a montadora,  serão tomadas as providências para a retomada da produção.

O acordo estabeleceu ainda piso salarial de R$ 1,8 mil, com teto máximo de R$ 3 mil e revisão a cada seis meses por um prazo de 78 meses.

Também foi prorrogado o sistema layoff para 779 metalúrgicos que vão continuar com o contrato de trabalho suspenso temporariamente, por mais dois meses, mas recebendo o salário. Parte dos ganhos é paga com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Se ao final desse período houver desligamentos, os demitidos irão receber o valor de uma multa de três salários-base. Fica ainda a opção de adesão ao Programa de Demissão voluntária (PDV), com a chance de receber cinco salários mínimos, além das demais garantias trabalhistas.


Entre este ano e 2017, a GM investirá R$ 500 milhões nas áreas da powertrain (motores e transmissão), estamparia  e montagem da pick-up S10. Na avaliação do presidente do Sindicato da categoria, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá, "foi um acordo possível", que impediu o fechamento da MVA e garante investimento na unidade.

Em nota divulgada no fim de semana, a empresa anunciou que vai ampliar o Complexo Industrial de Gravataí, no Rio Grande do Sul. Na localidade, será criado o terceiro turno de trabalho, com a abertura de 2.450 empregos na produção dos modelos Celta e Onix hatchback, além de um veículo que ainda será lançado no mercado brasileiro. Só o projeto em torno da fabricação do Onix envolveu investimentos de R$ 1,4 bilhão.

AGÊNCIA BRASIL

Matérias Relacionadas

Educação

Jovens cientistas terão R$ 2,3 milhões para pesquisas

Selecionados terão acesso a treinamento
Jovens cientistas terão R$ 2,3 milhões para pesquisas
Brasil

10 mil crianças e adolescentes foram adotados no Brasil, diz CNJ

O relatório mostra que a maior parte dos adotantes ainda prefere crianças pequenas
10 mil crianças e adolescentes foram adotados no Brasil, diz CNJ
Schützenfest

Celesc reforça alerta para novos golpes registrados em diferentes regiões de Santa Catarina

lém de casos relatados na semana passada em cidades do Meio-Oeste catarinense, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis, nesta semana novas tentativas foram detectadas nos municípios de São José e Guabiruba
Celesc reforça alerta para novos golpes registrados em diferentes regiões de Santa Catarina
Geral

Epagri inclui ora-pro-nóbis em cestas básicas oferecidas a famílias em situação de fome

Epagri inclui ora-pro-nóbis em cestas básicas oferecidas a famílias em situação de fome
Ver mais de Geral