Joaçaba Pneus
GERAL

Mariana: PF mira em 'pescadores' do Rio Doce por fraudes em indenizações

26 Fev 2019 - 11h41Por Marina Dayrell

A Polícia Federal (PF) colocou em ação, na manhã desta terça-feira, 26, no Espírito Santo, a Operação Meandros, para combater corrupção e fraude na emissão de documentos. Denúncias apontaram que investigados estavam solicitando registro de pescador profissional para receber indenizações da Fundação Renova em função dos danos causados ao Rio Doce com o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), em 2015.

Segundo a PF, cerca de 100 pessoas conseguiram receber indenizações da Fundação Renova utilizando protocolos suspeitos de falsidade, o que representa recebimento de cerca de R$ 7 milhões contando indenizações e auxílios financeiros.

Foram emitidos protocolos de solicitação de licença de pescador profissional e inserção de documentos públicos falsos em sistema de informações pelo Escritório Federal de Aquicultura e Pesca. As investigações apontam para o envolvimento de um funcionário do órgão na validação dos protocolos falsos e na produção de ofícios e outros documentos oficiais.

A PF também detectou a presença de lobistas que trabalhavam na intermediação entre advogados e representantes de colônias de pescadores, além dos próprios representantes. Estes atraíam interessados em receber as indenizações e, em troca, recebiam parte dos honorários obtidos com os acordos extrajudiciais.

A operação contou com a participação de 55 policiais federais, que cumpriram 24 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e nos municípios capixabas de Baixo Guandu, Vitória, Vila Velha e Serra. Os policiais foram até as residências dos investigados, a sede da Colônia de pescadores em Baixo Guandu, um escritório de advocacia em Vila Velha e o próprio Escritório Federal de Aquicultura e Pesca, em Vitória.

De acordo com a PF, foram utilizados protocolos de solicitação de licença para pescador profissional datados de setembro e outubro de 2015. As provas colhidas até o momento indicam que esses protocolos foram emitidos com data retroativa, anterior ao rompimento da barragem, para permitir que indivíduos que não eram pescadores à época ou que não estavam com os documentos em dia, pudessem fechar acordos extrajudiciais na Fundação Renova.

As investigações também apontaram que o Escritório Federal de Aquicultura e Pesca no Espírito Santo produziu documentos oficiais e os inseriu em sistemas informatizados do Governo Federal, validando os protocolos suspeitos de falsidade.

A PF alegou que a falsificação também gera prejuízos ao INSS, já que permite que não pescadores recebam benefícios como o seguro-desemprego, licença-maternidade e aposentadoria.

Os investigados responderão pelos crimes de estelionato contra a Fundação Renova, falsidade ideológica em documentos públicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, inserção de dados falsos em sistema de informação do MAPA e corrupção passiva.

A reportagem tentou contato com o Escritório Federal de Aquicultura e Pesca no Espírito Santo, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. O espaço está aberto para manifestação.

Matérias Relacionadas

Geral

Organizadores divulgam Festival de Cinema na Câmara 

O Festival conta com mostras competitivas de várias categorias como curta metragem, longa metragem, tanto em documentário quanto ficcional ou animação.
Saúde

Para conter avanço da covid, áreas coletivas dos parques são interditadas em Jaraguá

Apenas atividades físicas individuais, com uso de máscara, estão permitidas nesse período, sem a permanência nos parques
Para conter avanço da covid, áreas coletivas dos parques são interditadas em Jaraguá
Economia

Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses

Programa de Microcrédito Municipal atende micro e pequenas empresas, microempreendedores individuais e autônomos
Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses
Geral

Fiscais interditam estabelecimento por descumprir regra sanitária

A fiscalização terá continuidade nos próximos dias e os estabelecimentos noturnos (restaurantes, lanchonete, bares e similares) que não estiverem adequados, serão penalizados com as interdições
Ver mais de Geral