CMG - Setembro
Responsabilidade

Malwee instala novo tratamento de efluentes

20 Dez 2012 - 13h47

Produzir sem poluir. A afirmação é um dos pilares que a Malwee construiu ao longo dos seus mais de 40 anos de história na indústria têxtil. Entre as diversas ações e cuidados com o meio ambiente, a preservação da água tem sido a preocupação maior nos últimos anos.


Desde 2003, a empresa conta com o projeto de recuperação e reutilização dos efluentes, que permitiu que parte da água utilizada fosse reaproveitada dentro do processo produtivo. Apesar de toda eficiência, a Malwee continuou buscando novos processos e sistemas que dessem respostas favoráveis à preservação do meio ambiente.

Há cinco anos, a empresa catarinense iniciou estudos visando a ampliação e consequente otimização do projeto já existente. A pesquisa abrangeu diversas tecnologias existentes no mercado, onde se destacou a tecnologia com o uso de membranas. Um primeiro olhar sobre o sistema por membranas apontou algumas vantagens sobre o sistema convencional eco-biológico (em uso desde 2002), como: efluentes com melhor qualidade final, não requerer um tanque para separar o lodo da água limpa; grande retenção de bactérias, aumentando a desinfecção,  e menor área construída. Além disso, o sistema oferecia risco zero de vazamento de lodo, já que ele é uma espécie de barreira física e impede a passagem de sólidos, por menor que fossem.

Esse sistema de tratamento por membrana funciona utilizando o princípio da filtração. Essa filtração ocorre dentro de canais independentes, que podem ser acrescidos conforme a demanda de produção aumente. O processo de filtração é totalmente automatizado e com leitura eletrônica em tempo real do seu andamento.

Após as visitas técnicas da equipe ambiental da Malwee nas estações de tratamento europeias que, em 2010, estavam adotando o novo sistema de tratamento, e após um estudo minucioso de todos os fornecedores de equipamentos e de soluções para a implantação do sistema de tratamento de efluentes por membrana, a empresa decidiu pela implementação do novo sistema em seu processo produtivo.

Em novembro de 2011, foi iniciado efetivamente o processo de instalação. Uma nova edificação no parque industrial Malwee, em Jaraguá do Sul, foi planejada, e as obras começaram no início de 2012. Esse novo prédio, com 600 m² de área construída, possui: laboratório de análise da qualidade da água, sala de treinamento, sala de equipamentos elétricos (estabilizadores e geradores), sala de armazenamento de produtos químicos (ácido cítrico e hipoclorito de sódio), sala de controle, sala de válvulas, além de pátio interno com instalação dos tanques que contêm as membranas imersas.


O investimento da Malwee totalizou R$ 12 milhões até essa etapa. Uma próxima etapa, com projeção de investimentos de mais R$ 3 milhões até o início do próximo semestre, já está prevista. Trata-se de um sistema complementar ao atual, que faz a clarificação da água por sistema de ozônio, sem necessidade de quaisquer aditivos químicos tradicionais. Este novo sistema aponta mais uma vez o direcionamento voltado à produção consciente que sempre permeou a filosofia da Malwee em sua produção e busca de novas tecnologias.

A Malwee

Fundada em 1968, a empresa busca aliar o desenvolvimento econômico à preservação ambiental. Dessa forma mantém um ciclo, valorizando pessoas e respeitando o meio ambiente. A prática de gestão ambiental responsável reflete o tema "Produzir sem poluir" adotado em suas unidades fabris.

Matérias Relacionadas

Brasil

Aprovada, reforma das telecomunicações depende agora de regulamentação

A efetivação da proposta, no entanto, dependem de complexas regulamentações. A lei segue agora para sanção do presidente Jair Bolsonaro
Aprovada, reforma das telecomunicações depende agora de regulamentação
Geral

Endividamento e inadimplência do consumidor têm alta em agosto

O estudo foi divulgado na última sexta-feira (13) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC)
Endividamento e inadimplência do consumidor têm alta em agosto
Geral

Mais de 5 bilhões de pessoas usam aparelho celular, revela pesquisa

O número equivale a cerca de 67% da população mundial
Mais de 5 bilhões de pessoas usam aparelho celular, revela pesquisa
Variedades

Cego cria bengala inteligente para proteger quem não enxerga

A bengala pode ser emparelhada com o sistema Bluetooth de um smartphone para facilitar o controle
Cego cria bengala inteligente para proteger quem não enxerga
Ver mais de Geral