Campanha Sarampo
GERAL

Justiça anula mudanças de Doria no conselho de patrimônio de SP

17 Mai 2019 - 14h32Por Priscila Mengue

Uma decisão liminar da Justiça de São Paulo determinou na quinta-feira, 16, a anulação das alterações feitas pelo governador João Doria (PSDB) no Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat). As mudanças, que incluem a redução da participação de universidades, também foram criticas por instituições e especialistas da área e contestadas em um abaixo assinado com 2.274 assinaturas.

Em decisão liminar, o juiz Otavio Tioiti Tokuda considerou que o decreto estadual fere o "princípio de publicidade", "desrespeitando o princípio transparência". Ele também destacou que a redução da participação de universidades e a nomeação "genérica" de profissionais de "notório saber" acaba afastando a "paridade entre governo e sociedade civil, e ainda o considerando que o referido".

O juiz ressalta, ainda, que a decisão ocorre em "tutela de urgência", o que é concedido "quando houver elementos que evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo". A ação foi ajuizada pela promotora Cláudia Cecília Fedeli. Um dos argumentos principais é de que as mudanças não poderiam ser feitas por decreto, mas apenas por meio de uma nova lei.

O decreto prevê a mudança de 30 para 24 conselheiros, com a redução de 13 para cinco no número de representantes de universidades. Do total de cadeiras, a alteração reserva 13 para o governo do Estado e três para "profissionais de notório saber", escolhidos por Doria. As demais vagas são do Iphan, Instituto de Arquitetos do Brasil, Instituto de Engenharia de São Paulo e Associação Paulista de Municípios (APM).

As alterações no Condephaat foram oficializadas no decreto 64.186/2019, publicado em 16 de abril. Sem se reunir desde 25 de fevereiro (ou seja, há 80 dias), o conselho é responsável por aprovar novos tombamentos em nível estadual e deliberar sobre intervenções naqueles cuja preservação já é determinada. A formação mais recente teve o mandato expirado em 10 de março, mas novas nomeações ainda não foram feitas.

A lei que deu origem ao conselho, de 1968, prevê a presença de apenas um representante de secretaria estadual, em detrimento da predominância de representantes de universidades, sociedade civil e entidades de patrimônio histórico, cultural, ambiental ou arqueológico. Nas décadas seguintes, decretos alteraram a composição, de modo que a penúltima reunia 13 representantes do governo estadual e outros 13 ligados a universidades, além de mais quatro da sociedade civil (ligados ao Instituto de Engenharia, ao Instituto de Arquitetos do Brasil, à CNBB e ao Iphan).

Na ação, a promotora também contesta a inclusão de novas instituições não ligadas à área. "Criam-se assentos para instituições que, apesar de sabidamente relevantes e idôneas, não possuem tradição de atuação na defesa oficial do patrimônio cultural, como o Instituto de Engenharia ou a Associação Paulista de Municípios", diz.

"Some-se a isso, a criação de três vagas genéricas, de profissionais de notório saber a serem indicados pelo governador, aumentando ainda mais a hegemonia na formação do Governo em razão de indicações diretas e indiretas. Passa-se, como vem sendo afirmado por profissionais da área, de um Conselho de Estado para um Conselho de Governo, em prejuízo da diversidade e do conhecimento específico que o tema requer."

Defesa

A gestão Doria se manifestou por meio de nota. "O Estado de São Paulo, embora não tenha sido citado nos autos e intimado da decisão, adotará as providências processuais cabíveis para reverter a referida decisão."

Matérias Relacionadas

Segurança

Adolescente morre afogado no rio Itapocu, em Jaraguá

Adrian Miguel Vieira, de 17 anos, brincava na água quando, num local de forte correnteza se afogou.
Adolescente morre afogado no rio Itapocu, em Jaraguá
Economia

Vendas do varejo sobem 0,1% de julho para agosto

O setor de veículos, motos, partes e peças caiu 1,7% e o segmento de material de construção recuou 0,8% em agosto
Vendas do varejo sobem 0,1% de julho para agosto
Variedades

Engenheiro cria gel que adere à mata e previne incêndios florestais

O fluido adere à vegetação e a mantém segura por meses
Engenheiro cria gel que adere à mata e previne incêndios florestais
Saúde

Japoneses criam sangue artificial capaz de ser doador universal

O sangue artificial pode tornar as transfusões de sangue drasticamente mais acessíveis
Japoneses criam sangue artificial capaz de ser doador universal
Ver mais de Geral