GNet
Horário de verão

Horário de verão 2015/2016 começa no dia 18 de outubro

21 Set 2015 - 18h14

Moradores dos estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e do Distrito Federal precisam estar atentos à alteração, que segue até às 0h do domingo 21 de fevereiro de 2016, quando os relógios retomam o horário tradicional. As regras estão estipuladas no decreto 6.558, de 2008, que fixa a duração da media do horário de verão em quatro meses.


A única exceção se dá quando o terceiro domingo de fevereiro coincide com o domingo de Carnaval. Nesse caso, o horário de verão termina no quarto domingo de fevereiro.

O principal objetivo do horário de verão é aproveitar melhor a luminosidade natural do dia, reduzindo o consumo de eletricidade no fim da tarde, quando é registrada a maior demanda por energia. A ideia de adiantar a hora oficial em períodos de verão foi lançada em 1784 por Benjamim Franklin, político e inventor americano. O primeiro país a adotar oficialmente o horário de verão foi a Alemanha, em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, para economizar os gastos com carvão.

No Brasil, o primeiro horário de verão foi realizado entre 1931 e 1932, pelo presidente Getúlio Vargas, com duração de 5 meses. A prática vem sendo adotada sem interrupções desde 1985, com algumas diferenças nos estados que aderem à mudança e os períodos de duração.

Fuso horário no Brasil:


Com a mudança de horário, os fusos do Brasil se organizam da seguinte forma em relação ao horário da capital do país:

0h: as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste (com exceção do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) adotam a mesma hora de Brasília durante o horário de verão;

1h:os estados do Nordeste, Pará, Amapá e Tocantins ficam com uma hora a menos em relação ao horário de Brasília. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul também adotam o horário de verão, mas a diferença de uma hora para Brasília se mantém;

2h: Parte do Amazonas e os estados de Roraima e Rondônia ficam duas horas atrás do horário de Brasília.


3h: O Acre e parte do Amazonas ficam com três horas atrás do horário de Brasília.

Economia de energia:


Em 2015, o Ministério de Minas e Energia estimou que a redução da demanda de energia entre 18h e 21h foi de até 1.970 megawatts (MW) no subsistema Sudeste/Centro-Oeste. O valor é equivalente ao dobro da demanda da cidade de Brasília. No subsistema Sul, segundo o ministério, a redução foi 625 MW.

Os ganhos com a redução do consumo total de energia foram de cerca de 195 MW médios no subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que equivale ao consumo mensal da cidade de Brasília, e 55 MW médios no subsistema Sul, equivalente ao consumo mensal de Florianópolis.

A redução total de 250 MW médios corresponde a um percentual estimado de 0,5%, nos dois subsistemas. Além disso, estima-se que ocorreu um ganho de armazenamento de energia nas hidrelétricas de 0,4% no sistema Sudeste/Centro-Oeste e 1,1% no sistema Sul.

EBC BRASIL

GNet

Matérias Relacionadas

Saúde

Liberação do uso de máscaras deve iniciar por parques, praças e praias em SC

O Estado está organizado para suprir as necessidades em 2022, como o calendário vacinal, UTIs especificas e centros de recuperação pós-pandemia.
Liberação do uso de máscaras deve iniciar por parques, praças e praias em SC
Geral

Prefeitura de Guaramirim apoia Feira de Adoção de Animais que ocorre neste sábado

A feirinha de adoção de animais ocorre nas dependências da Sala Verde, ao lado da Biblioteca Pública Municipal
Prefeitura de Guaramirim apoia Feira de Adoção de Animais que ocorre neste sábado
Geral

Uvel Chevrolet recebe premiação inédita da General Motors do Brasil

A premiação Classe A é concedida a apenas 15% das mais de 600 concessionárias Chevrolet no Brasil
Uvel Chevrolet recebe premiação inédita da General Motors do Brasil
Geral

Maior cometa já identificado pela ciência está vindo em direção à Terra

Corpo celeste é mais de 30 vezes maior do que os cometas geralmente vistos pelos cientistas, ele tem 150 km de diâmetro.
Maior cometa já identificado pela ciência está vindo em direção à Terra
Ver mais de Geral