105 Ouça
Greve

Greve já reduziu em 80% os atendimentos no setor de saúde

29 Mar 2017 - 13h05
Dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que houve uma redução de 81% no volume de atendimentos nas especialidades médicas, na comparação entre os dias 6 e 21 de março de 2016 e igual período de 2017. Por outro lado, nos hospitais da cidade a demanda por atendimentos via SUS, aumentou 30% segundo informações repassadas pelos hospitais, ao Centro Empresarial.

De acordo com números da Secretaria Municipal de Saúde, no ano passado, 30.594 pessoas foram atendidas em procedimentos gerais e especializados. Neste ano, entre os dias 6 e 21 de março, o número caiu para 5.934 atendimentos. Em algumas especialidades, o atendimento foi zero, fenômeno provocado pela greve dos profissionais. É o caso da Geriatria, que teve 88 atendimentos entre 6 e 21 de março de 2015 e nenhum no mesmo perídio desse ano. Na mesma época, em 2016, 78 pacientes passaram por profissional infectologista, e neste ano, ninguém no mesmo período.

Desde o primeiro dia da paralisação (6 de março) até 28 de março, o índice de adesão à greve na Saúde permanece estável, em cerca de 75%. De acordo com o secretário de Saúde, Jonas Schmidt. Segundo ele, dos 790 servidores, 200 apenas estão trabalhando.

[jwplayer mediaid="317863"]

A greve dos servidores, de acordo com o secretário, está causando um colapso na continuidade dos serviços, sem atendimento e sem sistema integrado – entre Atenção Básica, Média e Alta Complexidade. Todo o sistema de agendamentos de consultas, exames, retornos, prescrição, tratamentos, programas de prevenção e recuperação estão sendo adiados e agravarão o quadro clínico dos pacientes do SUS em atendimento. Além disso, os novos usuários ficarão impedidos de adentrar ao Sistema para consultas e encaminhamentos.

[jwplayer mediaid="317864"]

No entendimento do secretário, a interrupção dos tratamentos crônicos por tempo prolongado, poderá ocasionar sequelas irreparáveis aos pacientes. A perda de referências do acompanhamento das Equipes de Saúde aumenta os riscos. A continuidade da greve trará ainda aumento dos custos e investimentos em saúde após a retomada das atividades.

[jwplayer mediaid="317865"]

No que diz respeito às creches fechadas, os pais estão se virando como podem para manterem a rotina de trabalho e o cuidado com os filhos. A Claudete que é moradora do bairro São Luiz e levava o filho de dois anos na creche do CAIC, diz que a vida dela e da família ficou bem difícil com toda essa situação.

[jwplayer mediaid="317866"]
GNet

Matérias Relacionadas

Economia

Começa a Compra Premiada em Guaramirim

Ação vai distribuir R$ 42 mil em prêmios
Começa a Compra Premiada em Guaramirim
Geral

Navegantes não terá a Navegay em 2022

No ano passado, na 42ª edição, cerca de 200 mil pessoas aproveitaram a festa.
Navegantes não terá a Navegay em 2022
Saúde

Posto de Saúde do João Pessoa terá Farmácia Básica a partir de quarta-feira

Unidade terá os mesmos medicamentos oferecidos nas outras quatro farmácias básicas do município
Posto de Saúde do João Pessoa terá Farmácia Básica a partir de quarta-feira
Geral

Fujama captura maior espécie de cobra do Norte de SC em Jaraguá

Cobra tem cerca de um metro
Fujama captura maior espécie de cobra do Norte de SC em Jaraguá
Ver mais de Geral