Mês do Trânsito - Rádio
Geral

Governo quer dinheiro investido no Stark de volta

23 Fev 2012 - 13h38

O diretor financeiro da SC Parcerias, Hamilton Peluso, confirmou que o governo do Estado sairá da sociedade com a TAC Motors, solicitando a recompra da fatia de 13,51% que a estatal tem na montadora do jipe catarinense, o Stark.

Neste mês, a TAC assinou um protocolo de intenções com o governo do Ceará para a migração da empresa instalada em Joinville para a cidade de Sobral. Ainda não há data ou previsão para que os recursos voltem para a SC Parcerias. O diretor da estatal diz que o processo deve ser feito sem pressa. A decisão final pela migração para o Ceará será tomada na assembleia geral dos acionistas da empresa prevista para a primeira quinzena de março. Mas existe um consenso de que a fabricante de veículos 4x4 não vai seguir no Estado.

- Concordamos que a saída é determinante para o projeto de viabilização da empresa. Mas a motivação da empresa ter sido ficar perto do mercado consumidor, é apenas meia verdade. O fator decisivo são os incentivos federais dados para o Nordeste, e não os estaduais - opina Peluso.

O diretor da SC Parcerias disse que não tem ainda como prever quanto poderá valer a participação acionária da estatal na TAC Motors. Mas o governo catarinense teria uma cláusula de recompra como garantia de que não perderá o dinheiro investido.
Além da questão financeira, Peluso vê retorno para SC em outras áreas.

- Este foi um projeto vitorioso e, se ele não pode ficar em SC, pelo menos a tecnologia utilizada poderá ainda dar um retorno para o Estado.


Por parte da TAC, um pacote de fatores teria contribuído para a saída da empresa de SC. O presidente da fabricante do Stark, Neimar Braga, comentou que a companhia recebeu propostas de quatro estados: Amazonas, Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará.

- A escolha dependeu de incentivos fiscais, logística, parceiros, mas o principal deles foi escolher um Estado que tivesse um pacote viável de financiamento - explicou Braga, por meio da assessoria de imprensa.

O presidente da TAC comenta que buscou o Nordeste porque a região oferece benefícios tributários que não foram oferecidos por SC. Fora o aporte da SC Parcerias, a TAC Motors não teria conseguido entrar em nenhum programa de incentivo fiscal catarinense, recebido doação de terreno ou estímulo de pagar menos impostos.

De acordo com Braga, para quem a SC Parcerias é apenas um dos 96 acionistas da empresa, a saída da TAC Motors de SC seria uma questão de competitividade empresarial. Caso a ida para Sobral seja aprovada na assembleia dos acionistas, o plano da empresa é começar a produção dos jipes em solo cearense em junho.

Em Joinville, a TAC Motors chegou a produzir 20 veículos por mês. Com a possibilidade de conseguir novos investidores no Ceará, a empresa planeja fechar o primeiro ano de funcionamento no Nordeste produzindo 150 veículos por mês. Pelo planejamento do grupo, o parque fabril no Ceará seria implantado em duas fases. Nos primeiros cinco anos, o investimento previsto será de cerca de R$ 200 milhões.

A NOTÍCIA

Matérias Relacionadas

Geral

Prazo de entrega da declaração do ITR acaba hoje

Receita espera receber 5,9 milhões de documentos
Prazo de entrega da declaração do ITR acaba hoje
Jaraguá do Sul

CDL de Jaraguá promove plenária virtual nesta quarta-feira

A reunião tem como tema principal a divulgação da campanha de fim de ano da entidade, intitulada Comprou, Raspou, Ganhou
CDL de Jaraguá promove plenária virtual nesta quarta-feira
Geral

Pagamento em dinheiro volta a ser aceito no transporte coletivo em Jaraguá

Desde a retomada do transporte público, o pagamento da passagem só era permitido com cartão TEM
Pagamento em dinheiro volta a ser aceito no transporte coletivo em Jaraguá
Solidariedade

Irmãos com 'olhos de vidro' precisam de ajuda para trocar as próteses

Jovens sofrem de uma doença chamada retinoblastoma, que é um tumor no globo ocular que comprometeu a visão
Irmãos com 'olhos de vidro' precisam de ajuda para trocar as próteses
Ver mais de Geral