Geral

Governo começa a rodar folha dos professores com desconto na próxima semana

18 Jun 2011 - 11h12

O desconto dos dias parados por causa da greve do magistério vai atingir 17 mil professores. Serão deduzidas as faltas entre 19 de maio e 10 de junho. Por isso, nenhum docente terá o salário zerado.

Na sexta-feira, o governo começou a rodar o que chama de teste de consistência, para ver se não há erros. A folha definitiva roda apenas na semana que vem, mas ainda não foram definidos quais valores de salário ela terá. O secretário-adjunto, Eduardo Deschamps, disse que ideia é que eles sejam pagos de acordo com a última tabela proposta aos professores. Nela, todos os 66 mil professores têm reajuste salarial, apesar da redução nos percentuais da regência de classe, que compõe a remuneração dos docentes.

- O pessoal da Secretaria de Administração está avaliando os procedimentos jurídicos, porque, nesse momento, a tabela que está disponível legalmente é a da medida provisória - observou.

O texto com a mudança deve ser enviado à Assembleia Legislativa na próxima segunda-feira, na forma de projeto de lei complementar. Ela anula a MP, que paga o piso nacional de R$ 1.187 para os 35 mil docentes que ainda não recebiam isso no salário-base - 53% do total.

Com mais de 30 dias de paralisação, o governo ainda não decidiu se pedirá a ilegalidade da greve. O procurador-geral do Estado, Nelson Serpa, informou que isso depende de acontecimentos futuros.

- Essa decisão envolve também outras áreas do governo, não só a procuradoria. Estamos fazendo o acompanhamento em tempo real. A greve afeta a população diretamente, mas quem tem obrigação e responsabilidade de decidir sobre ela é o governo. Tudo vai depender do desenrolar dos fatos - ressaltou.

Assembleia estadual ainda não tem data

O comando de greve deverá se reunir na próxima segunda-feira. A coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), Alvete Bedin, informou que não tem data definida para uma assembleia estadual, que pode pôr fim à paralisação. Ela deverá ser marcada para a semana depois do feriado de Corpus Christi.

Alvete lamentou o desconto das faltas, porque isso faz parte das negociações.

- Só tivemos descontos na greve de 2008 (que durou cerca de 14 dias), porque o governo se recusou a pagar os dias parados, mesmo que nós repuséssemos as aulas. Muitos professores repuseram por conta própria - observou.

Ela voltou a afirmar que o Estado não pode pedir ilegalidade do movimento porque o Sinte cumpriu todos requisitos, como avisar com antecedência sobre a paralisação.

DIÁRIO CATARINENSE

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira
Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Geral

Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo

Os usuários que estacionarem na Zona Azul da cidade e não efetuarem o pagamento, continuarão a receber o Aviso de Cobrança de Tarifa, mas somente poderão efetuar a quitação no prazo de até 10 minutos a partir do horário de emissão do aviso
Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo
Saúde

Havan ajuda na compra de dois respiradores

Um deles foi doado para o Samu de Joinville e o outro para Barra Velha. Ambos vão atender os pacientes do município quando precisam ser transportados com urgência para hospitais da região
Ver mais de Geral