Regional

Gerente da Fatma Frustra expectativa sobre escritório

08 Jun 2011 - 12h56

 

Depois de obter garantias do Governo do Estado quanto à instalação de um escritório regional da FATMA em Jaraguá do Sul, a classe empresarial do Vale do Itapocu mais uma vez se decepcionou.


Na segunda-feira, dia 6, ao participar da reunião semanal das entidades de classe, no Centro Empresarial, o gerente regional da FATMA em Joinville, José Paulo Cabral Vicente, recentemente nomeado, frustrou as expectativas dos empresários ao afirmar que não tem conhecimento da criação de mais uma unidade na região.

Cabral havia sido convidado a participar da plenária da ACIJS - Associação Empresarial e APEVI - Associação das Micro e Pequenas Empresas sobre a atuação da FATMA na região, considerando que todos os processos de análise para investimentos que estão relacionados com impactos ambientais, no Vale do Itapocu, dependem do escritório de Joinville.

"Temos a informação do secretário de Estado da Casa Civil Antonio Ceron, durante encontro onde estavam o presidente da FATMA Murilo Flores e o deputado estadual Carlos Chiodini de instalação do escritório em Jaraguá para dar atenção aos projetos apresentados pela região", lamenta o vice-presidente para assuntos do meio ambiente da ACIJS, Benyamin Parham Fard, lembrando do compromisso assumido pelo Estado em 11 de maio.


A manifestação de Cabral de que a estrutura de atendimento em Joinville, que totaliza 13 municípios, é insuficiente para atender toda a região, e de que não há planos de criação de um escritório desmembrado da coordenadoria regional, causou indignação dos empresários. "Essa é uma reivindicação de muitos anos. A região está perdendo em novos investimentos e na ampliação de negócios já instalados", assinala Benyamin.

O gerente da FATMA em Joinville admite a demora na análise de projetos, com mais de 600 processos paralisados por falta de pessoal no escritório regional. Mas segundo ele, existe a intenção de se criar uma extensão da regional no planalto Norte, porém, nenhuma definição neste sentido ainda foi oficializada pela administração estadual.

O presidente da APEVI, engenheiro Alessandro Truppel Machado definiu a situação como vergonhosa para o município, um dos principais arrecadadores do Estado. Na opinião do empresário, a FATMA está travando o desenvolvimento de Jaraguá e região. Benyamin Fard entende que a insta;ação do escritório regional traz ganho para todos, pois os municípios da região são beneficiados com a geração de empregos e com a melhoria da renda e arrecadação dos tributos, e o Governo do Estado com mais impostos.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira
Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Geral

Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo

Os usuários que estacionarem na Zona Azul da cidade e não efetuarem o pagamento, continuarão a receber o Aviso de Cobrança de Tarifa, mas somente poderão efetuar a quitação no prazo de até 10 minutos a partir do horário de emissão do aviso
Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo
Saúde

Havan ajuda na compra de dois respiradores

Um deles foi doado para o Samu de Joinville e o outro para Barra Velha. Ambos vão atender os pacientes do município quando precisam ser transportados com urgência para hospitais da região
Ver mais de Geral