GERAL

Fachin derruba decisão do STJ e manda executar pena restritiva de direitos

15 Fev 2019 - 17h03

O ministro Edson Fachin, do Supremo, autorizou a execução provisória de pena restritiva de direitos decorrente de condenação mantida, em segunda instância, pela Justiça de Santa Catarina. Fachin acolheu o Recurso Extraordinário (RE) 1161548, interposto pelo Ministério Público Federal, e reformou decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que vedou a medida.

No caso, o réu foi condenado pelo crime de falsificação de documento público à pena de dois anos de reclusão em regime aberto, substituída por duas penas restritivas de direitos: prestação de serviços à comunidade e limitação de final de semana.

Contra decisão do Tribunal de Justiça estadual que havia determinado o início do cumprimento da pena, a Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina impetrou habeas corpus no STJ, que concedeu a ordem com fundamento em sua jurisprudência no sentido da impossibilidade de execução provisória das penas restritivas de direitos, devendo-se aguardar o trânsito em julgado da condenação.

No Supremo, o Ministério Público Federal pediu a reforma da decisão do STJ a fim de que fosse autorizada a execução.

Relator

Em sua decisão, Fachin lembrou que o STF, em diferentes precedentes, fixou jurisprudência segundo a qual "a execução provisória de acórdão penal condenatório proferido em grau de apelação, ainda que sujeito a recurso especial ou extraordinário, não compromete o princípio constitucional da presunção de inocência afirmado pelo artigo 5º, inciso LVII, da Constituição Federal".

O ministro citou o julgamento do Habeas Corpus (HC) 126292, de medida cautelar nas Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADC) 43 e 44 e do Recurso Extraordinário com Agravo (ARE) 964246, apreciado sob a sistemática da repercussão geral.

Especificamente em relação à execução provisória de pena restritiva de direitos em condenação já confirmada em segunda instância, o relator destacou que existem diversos julgados em que a Corte reconhece que a possibilidade de execução provisória da pena não está restrita às penas privativas de liberdade. "Entendo que a decisão do STJ, ao inviabilizar a execução provisória da pena restritiva de direitos, merece reparos, mormente porque incompatível com a jurisprudência prevalecente no âmbito desta Suprema Corte", concluiu.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Trabalho digital cresce 5 vezes e ameaça direitos trabalhistas

Alerta é da Organização Internacional do Trabalho
Trabalho digital cresce 5 vezes e ameaça direitos trabalhistas
Geral

Trabalhador tem suspeita de fraturas após sofrer queda de altura em Jaraguá

O acidente ocorreu no final da tarde de terça-feira (23) na rua Anton Frerichs, bairro Rau
Trabalhador tem suspeita de fraturas após sofrer queda de altura em Jaraguá
Geral

Liga de Doações tem balanço positivo em ações solidárias na região

Iniciativa liderada pela FIESC por meio do projeto "Eu Voluntário", a Liga de Doações Conecta SC atua com o propósito de ampliar o alcance de ações solidárias no estado
Geral

Árvore cai e interdita parte da Marechal, no centro de Jaraguá

A árvore atingiu um ônibus interditou três faixas da via nas proximidades da empresa HC Hornburg
Árvore cai e interdita parte da Marechal, no centro de Jaraguá
Ver mais de Geral