Unimed - Capa
Exposição

Exposição resgata a história do teatro de bonecos

30 Ago 2012 - 18h02
Exposição resgata a história do teatro de bonecos -
Exposição resgata a história do teatro de bonecos

O Museu Histórico Emílio da Silva recebe, na sala Amadeus Mahfud, de 1º a 15 de setembro, a exposição "Família Kasperl", com bonecos de luva do teatro alemão. Na abertura, programada para as 19 horas deste sábado (1º), haverá a entrega solene de 16 bonecos de luva utilizados por Margareth Shlünzen, a "Móin-móin", nas décadas de 50 e 70, em Jaraguá do Sul. Os bonecos foram cedidos pela neta de Margareth, Karin. Na ocasião, a Cia. Alma Livre apresenta a peça teatral "Tem xente uma feis", que será reapresentada no encerramento da exposição, no dia 15 de setembro, às 10h30min.

Haverá, de acordo com a responsável pelo museu, Araci Piepper, oficina para a confecção de bonecos em três datas: 2, 8 e 9 de setembro. No dia 2, a oficina ocorre das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. No sábado (8), das 14 às 18 horas; e no dia 9, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Devido à exposição e oficina, o museu terá o horário de atendimento estendido nestes dias. No sábado (8), além do tradicional horário de visitas, das 9 às 12 horas, o museu também estará aberto das 14 às 18 horas. Aos domingos, as visitas ocorrem das 15 às 18 horas, mas também em virtude da oficina, em 2 e 9 de setembro, poderão ser feitas a partir das 14 horas.


Teatro de bonecos - De acordo com a atriz Mery Petty, integrante da Cia. Alma Livre, a exposição "Família Kasperl" tem como objetivo a disseminação da arte do teatro de bonecos de luva e a história do teatro de bonecos em Jaraguá do Sul, protagonizada por Margareth Pätzmann Schlünzen.

Margareth nasceu em 13 de fevereiro de 1900, na Alemanha, e veio ao Brasil para cuidar dos filhos da irmã, doente, em São Bento do Sul. A irmã faleceu, mas Margareth permaneceu no Brasil e casou-se com o Pastor Ferdinand Schlünzen, vindo morar em Jaraguá do Sul.


A criação dos bonecos iniciou em 1957, com ajuda do filho Klaus. As histórias infantis que ela inventava eram contadas por personagens como bruxas, príncipes, princesas, lobos, policiais, Zé Galinha, Maria, o plebeu e a plebeia, o urso e o macaquinho, o tenebroso e assustador jacaré, além do esperto Kasperl, um bobo da corte. Além disso, alegrando a cena e dando um toque especial ao "Kasperl Theater", como era chamado, cantigas em português e em alemão eram cantadas, acompanhadas ao som de gaita, violino ou flauta. As histórias só cessaram com a morte de "Móin-móin", em 1973.

Matérias Relacionadas

Geral

Morre Francisco, pai dos sertanejos Zezé di Camargo e Luciano

Ele estava internado em um  hospital particular em Goiânia há 14 dias
Morre Francisco, pai dos sertanejos Zezé di Camargo e Luciano
Geral

Caropreso cobra agilidade na licitação das obras especiais da BR 280 

Recurso administrativo requer alteração de projeto
Caropreso cobra agilidade na licitação das obras especiais da BR 280 
Geral

Portarias do Estado liberam uso de provadores e cursos livres para menores de 14 anos

A autorização para a prova de roupas, acessórios, bijuterias e calçados foi autorizada pela portaria da Secretaria de Estado da Saúde (SES) 883/2020, publicada na terça-feira (17)
Rafael Benkendorf

Renault Megane eVision, provável concorrente do VW ID.3 poderá se chamar Megane ZOE

"O novo elétrico chamou a atenção por resgatar o nome Mégane, bastante popular entre os entusiastas,..."
Renault Megane eVision, provável concorrente do VW ID.3 poderá se chamar Megane ZOE
Ver mais de Geral