GERAL

'Espaços de confinamento São a realidade de muitas mulheres', alerta Raquel

09 Mar 2019 - 11h27

A procuradora-geral Raquel Dodge: "Precisamos que as leis que proíbam discriminação, que vedem diferenciação e que garantam direitos para as mulheres sejam efetivamente cumpridas. As barreiras invisíveis nas instituições, na vida pública e na vida privada precisam ser ultrapassadas."

Raquel fez a declaração nesta sexta, 8, em evento na sede da Procuradoria-Geral, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. As informações foram divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria.

Ela ressaltou que quando há mudanças nos diálogos no âmbito pessoal e doméstico, o diálogo dentro das instituições também muda.

"É possível que ocupemos os espaços que quisermos e desejarmos ocupar para que sejamos o que queremos ser, e não o que nos impõem, o que nos restringem", disse.

E alertou. "Espaços de confinamento são a realidade de muitas mulheres na vida privada e na vida pública no nosso país."

A PGR destacou que as políticas públicas 'devem ser inclusivas para que, de fato, exista uma sociedade fraterna, justa e solidária, como previsto na Constituição'.
A deputada federal Joenia Wapixana, a primeira mulher indígena que conquistou uma vaga na Câmara dos Deputados, falou sobre a baixa representatividade feminina no Legislativo.

A parlamentar destacou que apenas 15% da Casa é ocupada por mulheres, sendo que o parlamento de outros 150 países têm maior representação feminina.

"Não é fácil nascer e ser mulher no Brasil. Temos de provar ser capazes, ter habilidade, competência na nossa profissão, mostrar que a gente não perde a nossa identidade, no meu caso indígena, mostrar que eu posso continuar exercendo minha profissão, usando minha cidadania sem perder minhas origens indígenas", destacou Joenia Wapixana.

A deputada reforçou que 'as mulheres, com muita garra, conquistaram muitos direitos em busca da equidade e que, exatamente por isso, não pode haver retrocessos'.
As representantes do Conselho Nacional do Ministério Público e do Conselho Nacional de Justiça falaram sobre a carreira das procuradoras no âmbito das unidades do Ministério Público Federal e dos Ministérios Públicos estaduais.

Elas reconheceram que 'a pauta de equidade de gênero está cada vez mais presente nas instituições, o que é extremamente relevante para que as mulheres da carreira possam ter espaço para falar e serem ouvidas'.

A procuradora regional da República da 4.ª Região Carmen Elisa Hessel destacou dois desafios a serem vencidos em relação à representatividade feminina no âmbito dos MPs: questões raciais aliadas ao gênero e mais mulheres nos cargos de chefia e nos órgãos colegiados.

Sobre a importância da presença de mulheres nas carreiras do Ministério Público, a promotora Maria Gabriela Mansur assinalou que 'o olhar feminino é relevante nos casos, por exemplo, de violência doméstica e abusos sexuais'.

Ela pontuou que 'a representatividade na carreira deve levar em consideração aspectos quantitativos e, principalmente, qualitativos'. A promotora ressaltou 'a importância do incentivo às mulheres de ocuparem postos de liderança e sugeriu a instituição de um tipo de premiação, um reconhecimento formal às instituições que promovam e estimulem o empoderamento feminino'.

"O importante é mostrar para a mulher que ela é capaz de estar em todas as discussões, falar sobre todas as matérias e ocupar todos os espaços públicos e privados. As mulheres não devem ser isoladas para lidar com temas específicos", reforçou Maria Gabriela Mansur.

A promotora destacou que é importante também incluir os homens nas discussões relacionadas à equidade de gênero.

Presidência da República - Na cerimônia promovida pela Presidência da República a PGR traçou um breve histórico sobre os direitos conquistados, ao longos dos anos, pelas mulheres brasileiras e reforçou que o empoderamento feminino estimula fraternidade e fortalece a sociedade inteira.

"Ajuda a criar uma comunidade que viva dignamente e respeite cada um de seus integrantes como iguais entre si", salientou Raquel.

Ela ponderou que a reivindicação das mulheres é por igualdade de tratamento e de oportunidades, e também por vedação a qualquer tipo de discriminação.

"A pretensão de igualdade significa convivência harmônica com os homens, sem competição, como expressão do desejo de sermos reconhecidas como iguais em direitos e dignidade."

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Média histórica do Auxílio-Cidadão de Jaraguá apresenta nova elevação em março

Desde o início da pandemia, o número de benefícios mensais concedidos se mantém acima da média de três mil. Em 2021, o valor investido é de quase R$ 1,4 milhão
Média histórica do Auxílio-Cidadão de Jaraguá apresenta nova elevação em março
Geral

Estabelecimentos turísticos podem usar cadastros gratuitos para divulgação

Cadastur e Viaje+SC dão visibilidade aos estabelecimentos em todo o País e fora dele
Estabelecimentos turísticos podem usar cadastros gratuitos para divulgação
Geral

Companhia aérea é condenada a indenizar casal de Jaraguá por dano moral

Casal pagou por poltronas mais confortáveis, em viagem para os EUA, mas não conseguiu usar
Companhia aérea é condenada a indenizar casal de Jaraguá por dano moral
Geral

Social chama munícipes para atualização do Cadastro Único em Guaramirim

Serão atendidas as famílias que tenham realizado sua última atualização cadastral no ano de 2019 ou antes
Social chama munícipes para atualização do Cadastro Único em Guaramirim
Ver mais de Geral