Enem

Enem passará a ser exclusivo para acesso às universidades

19 Jan 2017 - 10h37

Essa atribuição será do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), que hoje é direcionado a estudantes do ensino fundamental em idade irregular (a partir de 16 anos). A mudança valerá já para a próxima edição do exame.

A novidade foi anunciada nesta quarta-feira, 18, pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, durante coletiva para a divulgação dos resultados do Enem de 2016 e anúncio de outras mudanças. Dos 8,6 milhões de inscritos no último Enem, cerca de 1,2 milhão queriam somente a certificação do ensino médio e poucos mais de 7,7% deles conseguiram a nota mínima.

“Não dá mais para aplicar uma avaliação tão abrangente, que exige mais do que o necessário, àqueles que têm objetivos distintos, impondo um ônus para quem não pensa no ensino superior”, disse. “A gente vai buscar algo mais enquadrado na demanda e estender aos apenados nas penitenciárias, assunto que levei à presidente do STF [Supremo Tribunal Federal], ministra Carmem Lúcia.”

O Enem, assim como o Encceja, é aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). O resultado final do Enem de 2016 divulgado nesta quarta-feira, 18, aponta para um dos piores desempenhos na história do exame, especialmente em linguagens, com quase mil notas zero e um único candidato a atingir a nota máxima, acertando entre 800 e 900 questões.

“O desempenho em todas as áreas está absolutamente estagnado. Não estamos conseguindo que nossos alunos do ensino médio aprendam mais desde 2008”, informou a presidente do Inep, Maria Inês Fini. Segundo ela, o Enem não foi criado para certificar o ensino médio e usava o Encceja como matriz para uma dupla função, que incluía o acesso às universidades. O fim dessa duplicidade pode ajudar nos próximos resultados.

“Tudo isso reflete aquilo que a gente tem colhido nos principais mecanismos de avaliação, como o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb)”, avaliou o ministro Mendonça Filho. Para ele, a educação básica no Brasil não apenas estagnou, mas piorou. “Precisamos de reformas estruturais rumo a uma educação de qualidade, valorizando o professor e o conteúdo oferecido aos alunos. O projeto do Novo Ensino Médio, em tramitação no Congresso Nacional, tem também esse objeto”, concluiu.

Matérias Relacionadas

Jaraguá do Sul

Central 0800 sobre Coronavírus tem aumento de ligações

Na última semana, o município registrou o recorde de novos casos, (91)
Central 0800 sobre Coronavírus tem aumento de ligações
Santa Catarina

Ciclone em SC: Estado dá início à recuperação de 412 escolas atingidas pelo fenômeno

Grande Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Blumenau e Brusque foram as regiões com o maior número de escolas atingidas, totalizando 155
Ciclone em SC: Estado dá início à recuperação de 412 escolas atingidas pelo fenômeno
Saúde

Ainda restam 6 mil doses para quem ainda não se vacinou contra a gripe

Esta vacina não previne contra a covid-19, mas serve como diferencial na questão de avaliação de tratamento, de diagnóstico dessa doença
Ainda restam 6 mil doses para quem ainda não se vacinou contra a gripe
Santa Catarina

Governador participa por videoconferência do lançamento de nova unidade da JBS em Santa Catarina

Com um investimento de R$ 180 milhões, a usina deve ser inaugurada em junho de 2021 e irá gerar aproximadamente 500 empregos diretos e indiretos quando estiver em pleno funcionamento
Governador participa por videoconferência do lançamento de nova unidade da JBS em Santa Catarina
Ver mais de Geral