dengue
Geral

Empreiteira que recebeu R$ 3,2 milhões por obra sob suspeita fez doação para PP de SC

03 Ago 2011 - 11h10

Ignorando advertências do Tribunal de Contas da União (TCU), da Caixa e do Ministério das Cidades, o secretário nacional de Saneamento Ambiental, Leodegar Tiscoski, liberou, no ano passado, R$ 3,2 milhões para uma obra com graves indícios de irregularidades em Porto Velho (RO). Cinco meses depois, a Construtora Triunfo - uma das empresas à frente do empreendimento - doou R$ 100 mil para o comitê financeiro único do PP em Santa Catarina.


Na época que liberou os recursos, Tiscoski acumulava o cargo no ministério com a tesouraria do PP nacional. Entre suas atribuições partidárias, estava a captação de doações para as eleições de outubro. Beneficiada com o pagamento em Porto Velho, a Triunfo repassou em 31 de agosto de 2010, por meio de transferência eletrônica, doações de R$ 55 mil e R$ 45 mil para o PP de Santa Catarina. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral, o comitê catarinense foi o único no país irrigado com dinheiro da empreiteira.

Alvo de investigação do TCU, a construção do sistema de esgotos sanitários da capital de Rondônia já consumiu R$ 14,3 milhões dos cofres da União. Os auditores do tribunal de contas apontaram suspeita de superfaturamento e de manipulação do processo licitatório. Análises de técnicos da Caixa e do Ministério das Cidades, gestor do empreendimento, também identificaram que depois de um ano de execução, a obra não tinha sequer um projeto básico de engenharia.

A contratação das empresas e a largada da execução da obra teriam ocorrido apenas com base em um "projeto conceitual". Em regra, antes da assinatura de ordens de serviço é exigida a apresentação de pelo menos um projeto básico. Intrigados com as evidências de irregularidades em Porto Velho, órgãos federais emitiram sucessivos pareceres que recomendaram o bloqueio dos repasses às empreiteiras. Pressionado a liberar dinheiro, o ministério chegou a elevar o tom contra o governo rondonense:

- Não faz qualquer sentido a obra ter andamento, e consequentemente pagamentos, uma vez ainda não haver projeto nem a sua respectiva análise e aprovação - afirmou o diretor de Águas e Esgotos da pasta das Cidades, em resposta à filial da Caixa sobre como proceder diante da insistência dos governantes locais.

Questionamento da Caixa e reativação dos pagamentos

Na contramão de todos os alertas internos, Tiscoski ordenou de forma unilateral a reativação dos pagamentos. Em 31 de março de 2010, encaminhou à Secretaria de Planejamento de Rondônia ofício anulando a orientação anterior do próprio ministério de estancar os repasses. No mês seguinte, a pasta liberou R$ 3.206.447,17 às construtoras responsáveis pela obra.

Orçado em R$ 398 milhões em 2008, o empreendimento saltou para R$ 598 milhões três semanas após a divulgação do resultado da pré-qualificação das empresas habilitadas. Em fevereiro de 2010, os custos da iniciativa foram mais uma vez recalculados, alcançando R$ 736 milhões - 85% superior ao valor original.

Nas 102 páginas do acórdão do TCU, relatado pelo ministro Valmir Campelo, foram levantadas dúvidas sobre a lisura da licitação. A Corte advertiu que poderia anular a concorrência, na medida em que as estimativas de custos iniciais, drasticamente alteradas, serviram de parâmetro para definir as vencedoras. Das 41 empresas que retiraram o edital, somente quatro foram habilitadas para a etapa derradeira. Ao final, o Consórcio Cowan-Triunfo foi escolhido.

Fonte:Clic RBS

Matérias Relacionadas

Geral

Confira as previsões do horóscopo para hoje

Saiba o que os astros reservam para você no amor, vida profissional e viagens
Confira as previsões do horóscopo para hoje
Geral

Teatro ContraPonto apresenta "Dom Quixote e os Ratinhos da Biblioteca" neste domingo na SCAR

A peça, de cerca de 55 minutos, conta a história de quatro ratinhos que moram em uma biblioteca e gostam muito de ler.
Teatro ContraPonto apresenta "Dom Quixote e os Ratinhos da Biblioteca" neste domingo na SCAR
Geral

Pesquisa do IBGE mostra a falta de identificação de ruas e endereços na região

Segundo os dados, Corupá tem 37% dos imóveis sem identificação oficial
Pesquisa do IBGE mostra a falta de identificação de ruas e endereços na região
Geral

Movimento Marcha do Silêncio de Jaraguá promove ação educativa de conscientização no trânsito

Ação ocorre neste sábado (15) em vários pontos da cidade
Movimento Marcha do Silêncio de Jaraguá promove ação educativa de conscientização no trânsito
Ver mais de Geral