Imobiliária Coralli
Geral

Em Santa Catarina, 217 crianças diagnosticadas com anencefalia morreram nos últimos 10 anos

13 Abr 2012 - 13h03

Nos últimos 10 anos em Santa Catarina, mais de 200 mulheres tiveram que levar a gravidez adiante mesmo sabendo que o bebê morreria logo após a dar o primeiro suspiro de vida ou as primeiras mamadas. De 2001 a 2011, a Secretaria de Estado da Saúde registrou 217 óbitos de crianças que foram diagnosticadas com anencefalia e nasceram vivas, mas morreram no hospital.


Nesta quinta-feira, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram que o aborto de fetos sem cérebro não é crime. O julgamento iniciado quarta-feira terminou com oito magistrados favoráveis e dois contra a interrupção da gravidez nestes casos.

Para o pediatra da secretaria, Haley Cruz, se considerar o número de bebês que nascem todos os anos, no Estado, de 80 a 90 mil, o número de casos de anencefalia não é considerado alto. No país a média é de 500 a 600 fetos com anencefalia todos os anos. O Vale do Itajaí é a região do Estado que apresenta mais óbitos. Foram 36 em 10 anos e a Serra é o menor com 11 casos nesse mesmo período.

- Esses são apenas aqueles que nasceram vivos com a malformação, lembrando que metade deles não chega a nascer. A olho nu são bebês normais, eles choram, mamam, se movimentam, mas como o cérebro comanda tudo, os dias e as horas são contados - diz.

O obstetra Renato Polli, que trabalha no Hospital Regional de São José e já acompanhou nascimentos de bebês com anencefalia, diz que a decisão do STF não deveria vir como uma obrigação, mas como uma opção. Segundo ele, apesar de saber que o feto não viverá muitas gestantes preferem levar a gestação até o fim.

- Pelo que vivencio nos consultórios eles devem ter opções, tanto para abortar como para dar continuidade à gestação. Em muitos casos o pré-natal é normal, o bebê mexe, o coração bate e ele nasce quase perfeito. Geralmente enrolamos um pano na cabeça para a malformação não ficar visível e quem o vê não diz que ele nasceu com problema. Vivenciar ou não esta fase deve ser uma escolha da mãe - observa.

Bebês com anencefalia que nasceram vivos e morreram logo após o parto em Santa Catarina

Total: 217

Total dos últimos 10 anos por região (2001/2011)

Extremo Oeste : 22

Meio Oeste: 14

Vale do Itajaí: 36

Foz do Rio Itajaí: 30

Grande Florianópolis: 28

Sul: 30

Nordeste: 33

Planalto Norte: 13

Planalto Serrano: 11

De 100% dos casos de anencefalia

50% morrem dentro do útero

25% morrem no parto

25% morrem após o parto e vivem de um a 15 dias. Há casos raros de até um mês


Em SC nascem em média de 80 a 90 mil bebês todos os anos (saudáveis ou não)

A malformação pode ser verificada por exame de ultrassom entre a 10ª e a 16ª semana de gestação

A única forma de prevenção é tomar de 2 a 5 miligramas por dia de ácido fólico até mesmo antes da gestação (cerca de um mês)

Fonte: pediatra Haley Cruz e obstetra Renato Polli

DIÁRIO CATARINENSE

Matérias Relacionadas

Geral

Acidente aéreo na Ucrânia deixa pelo menos 26 mortos

Avião de transporte militar caiu durante voo de treinamento
Acidente aéreo na Ucrânia deixa pelo menos 26 mortos
Geral

Nasa anuncia programa para levar primeira mulher à Lua em 2024

Antes disso, agência lançará dois testes de voo ao redor do satélite
Nasa anuncia programa para levar primeira mulher à Lua em 2024
Saúde

Doações de órgãos caíram 40% com pandemia

Ministério da Saúde lançou hoje campanha para aumentar doações
Doações de órgãos caíram 40% com pandemia
Jaraguá do Sul

Jaraguá do Sul registra 38ª morte em decorrência do coronavírus

Nas últimas 24 horas foram 23 novos casos e 17 pessoas recuperadas
Jaraguá do Sul registra 38ª morte em decorrência do coronavírus
Ver mais de Geral