Delivery Much
Fiesc

Em encontro com presidenciáveis, FIESC defende novo Pacto Federativo

31 Jul 2014 - 12h52
Em encontro com presidenciáveis, FIESC defende novo Pacto Federativo -


Escolhido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) para fazer uma pergunta a Aécio Neves no evento "Diálogo da Indústria com os Candidatos a Presidência da República", o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, defendeu a simplificação do sistema tributário brasileiro. "A indústria não quer favores, quer apenas isonomia com os países com os quais compete. E isso não é pedir demais", disse. Côrte destacou que a competitividade da indústria brasileira depende, em grande parte, de um novo Pacto Federativo, que reduza a carga tributária sobre investimentos, exportações e atividades industriais, além de ampliar o prazo para recolhimento de tributos. Realizado nesta quarta-feira, dia 30, em Brasília, o encontro contou com a participação de Eduardo Campos (PSB), Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT).

Veja abaixo o resumo das propostas dos candidatos.

Eduardo Campos
O candidato disse que as reformas política e tributária terão prioridade em seu eventual governo. Ele garantiu que não aumentará a carga de impostos e prometeu que, caso seja eleito, enviará ao Congresso na primeira semana de governo uma proposta de reforma tributária, focada na simplificação, na desoneração dos investimentos e das exportações e na eliminação da cumulatividade dos tributos.
Aécio Neves
O candidato afirmou que a política externa será alinhada à agenda comercial brasileira, com a retomada de negociação de acordos comerciais com parceiros no mundo. Ao falar à plateia de empresários, ele assegurou apresentar, no início de um eventual governo, a proposta para simplificar o sistema tributário brasileiro, mediante a unificação de tributos indiretos e com a compensação horizontal de créditos tributários.
Dilma Rousseff
A candidata à reeleição disse que é "capaz de fazer" as mudanças almejadas pelo setor industrial. Apontou a educação como o melhor caminho para o aumento da competitividade da indústria brasileiro e afirmou ser difícil aprovar uma reforma tributária integral, embora tenha admitido que, no primeiro ano de um eventual novo mandato, o governo poderá ter mais força política. Dilma defendeu ainda a política do governo para a indústria e criticou aqueles que conspiram contra o financiamento do setor.
Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Participe dos grupos de WhatsApp da Rádio Jaraguá

Pelo aplicativo você tem acesso às notícias mais importantes a qualquer momento
Participe dos grupos de WhatsApp da Rádio Jaraguá
Geral

Norma de pesagem é revisada e caminhoneiro pagará menos, diz ministro

Segundo ele, peso por eixo será substituído e tolerância, ampliada
Saúde

Weg integra grupo que fará doação para nova usina de oxigênio ao Amazonas

O grupo fará uma doação para o programa Unidos Contra a Covid-19 no valor de R$ 1,6 milhão, referente a uma usina de produção de oxigênio, que deverá dar suporte aos hospitais públicos da região
Weg integra grupo que fará doação para nova usina de oxigênio ao Amazonas
Geral

Chuva constante deixa Defesa Civil de Guaramirim em alerta

Foram registrados alguns pontos de alagamentos de vias urbanas, queda de árvore e também pequenos deslizamentos de terra, sem gravidade
Chuva constante deixa Defesa Civil de Guaramirim em alerta
Ver mais de Geral