Mês do Trânsito - Rádio
Geral

Dilma diz que vai vetar pontos polêmicos do Código Florestal

26 Abr 2012 - 12h23

Em conversas com aliados, a presidente Dilma Rousseff adiantou que vai vetar pontos polêmicos do texto aprovado na quarta-feira do Código Florestal e compensará trechos suprimidos pelos deputados em medidas provisórias.


- Espero que a presidente não vete o projeto aprovado pelo Congresso. Os defeitos têm de ser corrigidos aqui - defendeu o relator da proposta, deputado Paulo Piau (PMDB-MG).

Convencidos de que o saldo final do projeto foi favorável ao setor agropecuário, líderes ruralistas decidiram não questionar a exigência de limites de reflorestamento. A bancada pretende apresentar projeto de lei para regulamentar as faixas de floresta à beira de rios.

Para o deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), mesmo com a derrota na questão das áreas de preservação permanente, os produtores avançaram em centenas de temas de interesse do setor, como a dispensa de áreas de preservação às margens de açudes e a consolidação das várzeas para plantação de arroz. Outros parlamentares, no entanto, enxergaram o retorno da exigência da recomposição nas margens de rios como cochilo do relator.

Primeiro destaque foi rejeitado pelo Planalto

O Plenário rejeitou o destaque do PT ao substitutivo do Senado para o Código Florestal (PL 1876/99) e retirou do texto a definição dada para pousio (período sem uso do solo). O segundo destaque, que altera a caracterização de APP, foi aprovado.

O PT pretendia manter a definição do Senado para pousio - a de interrupção temporária de atividades de uso agrícola ou pecuário do solo por, no máximo, cinco anos em até 25% da área produtiva da propriedade com o objetivo de permitir a recuperação da terra.

O Plenário também aprovou o destaque do bloco PSB-PCdoB ao substitutivo do Senado para o Código Florestal e incluiu o texto da Câmara que não considera apicuns e salgados como áreas de preservação permanente (APPs). Os deputados já votaram o parecer do relator Paulo Piau (PMDB-MG), que recomenda a exclusão de vários dispositivos.

Aprovação do texto-base

O texto-base do novo Código Florestal brasileiro foi aprovado, por 274 votos a favor e 184 contra, no plenário da Câmara dos Deputados no fim da tarde de quarta-feira. Os deputados optaram por votar o texto que contém modificações propostas pelo relator, ao invés de apreciar o texto aprovado no Senado. Houve duas abstenções. A partir de agora serão votados os destaques apresentados ao texto, que pretendem manter ou excluir vários dispositivos.

Depois de ter sido lido pelo relator Paulo Piau (PMDB-MG) em sessão extraordinária, nesta manhã, o relatório foi à votação à tarde. Antes do voto, porém, o relator reformulou o parecer para recolocar no texto o artigo sobre recomposição de Áreas de Preservação Permanente (APPs) nas margens de rios.

DIÁRIO CATARINENSE.

Matérias Relacionadas

Geral

Pagamento em dinheiro volta a ser aceito no transporte coletivo em Jaraguá

Desde a retomada do transporte público, o pagamento da passagem só era permitido com cartão TEM
Pagamento em dinheiro volta a ser aceito no transporte coletivo em Jaraguá
Solidariedade

Irmãos com 'olhos de vidro' precisam de ajuda para trocar as próteses

Jovens sofrem de uma doença chamada retinoblastoma, que é um tumor no globo ocular que comprometeu a visão
Irmãos com 'olhos de vidro' precisam de ajuda para trocar as próteses
Jaraguá do Sul

Voluntários do Hospital Jaraguá promovem bazar na antiga casa do Breithaupt

Conforme a coordenadora Izaura Herpich, há roupas para todas as idades, utensílios domésticos e acessórios, com preços a partir de R$ 1,00
Voluntários do Hospital Jaraguá promovem bazar na antiga casa do Breithaupt
Santa Catarina

Leilão de bens móveis que inclui aeronave do Estado tem fechamento de lotes nesta quarta-feira

A lista de itens disponíveis também inclui carros, impressoras, móveis e outros bens de consumo
Leilão de bens móveis que inclui aeronave do Estado tem fechamento de lotes nesta quarta-feira
Ver mais de Geral