GERAL

Defesa Civil esvazia prédios com rachaduras no Morumbi

19 Fev 2019 - 23h36Por Marco Antônio Carvalho

Os problemas no Condomínio Liberte Morumbi não são novos. De acordo com a síndica Raquel Morgenstern, as reclamações remetem ao período da entrega das chaves, em 2006. "Lá atrás já haviam sido constatados problemas como fissuras e infiltrações. De lá para cá, a situação só piorou, com o aparecimento de novas rachaduras", disse. Segundo ela, os moradores estão desde 2014 processando a construtora pelos problemas e nesta quarta haverá uma audiência do processo.

Os moradores tiveram de deixar as residências de forma repentina e poucos conseguiram sair com malas de roupas. Somente foi permitida a entrada para a retirada de animais de estimação.

Na noite desta terça, o publicitário Henrique Neto, de 30 anos, estava na calçada do prédio, onde tem um apartamento alugado aguardando informações ao lado da mulher. "Vi pela TV o que aconteceu e não é dado nenhum prazo para solução", disse ele que dormiria na casa de conhecidos. Moradores de um condomínio na Vila Andrade, zona sul de São Paulo, tiveram de deixar suas residências no fim da tarde desta terça-feira, 19, depois que rachaduras apareceram na estrutura. Técnicos da Defesa Civil estiveram no local e não há previsão de liberação.

No total, duas torres com 106 apartamentos foram interditadas, mas a gravidade do problema na estrutura não foi esclarecida. Fotos de moradores mostram apartamentos com extensas rachaduras, além de problemas na fachada.

Segundo eles, uma nova rachadura apareceu por volta das 14 horas, mas com um estalo. A situação voltou a acender o alerta dos moradores, que acionaram as autoridades.

Os problemas no Condomínio Liberte Morumbi não são novos. De acordo com a síndica Raquel Morgenstern, as reclamações remetem ao período da entrega das chaves, em 2006. "Lá atrás já haviam sido constatados problemas como fissuras e infiltrações. De lá para cá, a situação só piorou, com o aparecimento de novas rachaduras", disse. Segundo ela, os moradores estão desde 2014 processando a construtora pelos problemas e nesta quarta haverá uma audiência do processo.

Os moradores tiveram de deixar as residências de forma repentina e poucos conseguiram sair com malas de roupas. Somente foi permitida a entrada para a retirada de animais de estimação.

Na noite desta terça, o publicitário Henrique Neto, de 30 anos, estava na calçada do prédio, onde tem um apartamento alugado aguardando informações ao lado da mulher. "Vi pela TV o que aconteceu e não é dado nenhum prazo para solução", disse ele que dormiria na casa de conhecidos.

Matérias Relacionadas

Geral

Samae fará ligação de água no loteamento Jaime Osmar Mann

Instalação será feita em no máximo 40 dias, segundo a Autarquia
Samae fará ligação de água no loteamento Jaime Osmar Mann
Geral

Parque de Eventos vai receber o nome de Ademar Frederico Duwe

Duwe, que faleceu na madrugada do dia 11 de março, aos 82 anos de idade, foi empresário e político de destaque em Santa Catarina, chegando a ser deputado estadual constituinte e vice-prefeito de Jaraguá do Sul
Parque de Eventos vai receber o nome de Ademar Frederico Duwe
Economia

ACIJS completa 83 anos e apresenta nova plataforma digital a associados e comunidade

A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul ACIJS completa nesta terça-feira (22) 83 anos desde sua fundação em 22 de junho de 1938.
ACIJS completa 83 anos e apresenta nova plataforma digital a associados e comunidade
Geral

Campanha de Inverno da Celesc estimula o consumo consciente de energia 

A ação apresenta dicas para que a população economize na conta de luz, por meio de mudanças de hábitos diários que impactam no consumo
Ver mais de Geral