Imobiliária Coralli
Geral

Criação de empregos formais em 2012 é a pior dos últimos três anos, aponta Caged

25 Jan 2013 - 20h01

A criação de empregos em 2012 foi a pior em três anos, com a geração de 1.301.842 milhão de postos formais (com carteira assinada) até novembro. A última vez em que foi registrado desempenho mais baixo do que o de 2012 foi em 2009, ano da crise financeira internacional, quando foram abertas 1.397.844 milhão de vagas. Os dados são referentes à série histórica ajustada do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgada hoje (25).


O salário médio dos trabalhadores brasileiros em 2012, em contraponto, foi 4,69% mais alto do que em 2011. Em média, no ano passado, os salários chegaram a R$ 1.011,77, no ano anterior, os rendimentos somavam R$ 966,45.

"Os números do Caged não são absolutos, não contabilizam os empregos temporários, por exemplo, que são expressivos.  Essa queda na geração de empregos formais decorre dos efeitos da crise financeira internacional, que gerou um desaquecimento no mundo inteiro. O Brasil, mesmo assim, conseguiu responder aos efeitos gerando um saldo positivo. Ainda que não como nos anos anteriores, atendemos ao crescimento da População Economicamente Ativa (PEA)", explicou o ministro do Trabalho, Brizola Neto.

Segundo ele, a geração de empregos deverá ser retomada em 2013, com a criação média anual de 2 milhões de postos, favorecida por desonerações no setor de energia e das folhas de pagamentos, por isenções de impostos e pela queda da taxa de juros.

Dos empregos gerados no ano passado, a maioria foi no setor de serviços (666,1 mil), seguido pelo comércio (372,3 mil) e pela construção civil (149,2 mil). Em contraponto, os setores em que houve menos abertura de vagas foram o da administração pública (1,4 mil), o da agropecuária (4,9 mil) e a dos serviços industriais (10,2 mil).

"Com a proximidade dos grandes eventos internacionais, esperamos mais crescimento ainda dos serviços. A superação da crise internacional também deverá melhorar o desempenho da indústria", informou o ministro Brizola Neto.


Os 1,3 milhão de empregos gerados em 2012 foi resultado da contratação de mais de 21,6 milhões de pessoas e da demissão de 20,3 milhões. O secretário de Políticas Públicas de Emprego do MTE, Rodolfo Torelly, informou que esses números indicam a rotatividade da mão de obra no país.

"Desses 20,3 milhões de pessoas que se desligam dos empregos, cerca de 7,5 milhões recorrem ao seguro-desemprego, o que onera ainda mais a Previdência", disse o secretário.

Em dezembro de 2012, foram 1,2 milhão de pessoas admitidas e 1,7 milhão demitidas. Os estados com mais desligamentos nesse mês foram São Paulo (551,7 mil), Minas Gerais (57 mil) e o Paraná (43,2 mil).

AGÊNCIA BRASIL

Matérias Relacionadas

Santa Catarina

Polícia Civil desencadeia operação para cumprir 17 prisões contra organização criminosa

A investigação começou no final de 2019 com a identificação e a prisão de um integrante de uma organização criminosa
Polícia Civil desencadeia operação para cumprir 17 prisões contra organização criminosa
Jaraguá do Sul

Jaraguá do Sul registra 17ª morte em decorrência do coronavírus

Nas últimas 24 horas foram confirmados 51 novos casos e 47 pacientes recuperados
Jaraguá do Sul registra 17ª morte em decorrência do coronavírus
Jaraguá do Sul

Convênio com PM resulta na construção de nova Guarda na entrada do 14º BPM

Serão investidos nesta melhoria, R$ 174,6 mil, recursos repassados através do Conselho Municipal de Trânsito
Convênio com PM resulta na construção de nova Guarda na entrada do 14º BPM
Geral

Estiagem prejudica o sistema de abastecimento de água de Santa Luzia

Nesta semana, os técnicos que operam o sistema constataram uma redução de 50% no nível de água do ribeirão onde ocorre a captação
Estiagem prejudica o sistema de abastecimento de água de Santa Luzia
Ver mais de Geral