Interesse Habitação
Geral

Comércio varejista fecha 2012 com expansão de 8,4% no volume de vendas

19 Fev 2013 - 17h00

O comércio varejista brasileiro fechou o ano de 2012 com expansão de 8,4% no volume de vendas. O segmento hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo respondeu por 44,6% dessa taxa e foi o principal responsável pelo impacto no resultado anual, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio divulgada hoje (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Com aumento de 12,3% em relação ao ano anterior, a atividade de móveis e eletrodomésticos exerceu o segundo maior impacto (26,6%) na taxa anual do varejo. A pesquisa sugere que o bom desempenho foi decorrente da manutenção do crescimento do emprego, do rendimento e da disponibilidade de crédito, redução dos preços, sobretudo, dos eletrodomésticos, estimulado pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) desde dezembro de 2011 para a linha branca e, a partir de março, para móveis.

O terceiro maior impacto no resultado da pesquisa veio da atividade de outros artigos de uso pessoal e doméstico, ao registrar variação no volume de vendas de 9,4% em 2012, comparado com o ano de 2011.

Em dezembro, o volume de vendas do comércio varejista registrou queda de 0,5% na comparação com novembro, o primeiro resultado negativo após seis meses consecutivos de crescimento. A receita nominal cresceu 0,2% em dezembro.

Para o comércio varejista ampliado, composto do varejo mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, foi registrada alta de 1,3% para o volume de vendas e de 1,1% na receita nominal de vendas em dezembro passado na comparação com novembro passado. Na comparação com dezembro de 2011, os aumentos foram de 5% e de 7,7%, respectivamente. No acumulado do ano, os aumentos foram de 8% para o volume de vendas e de 9,5% para a receita nominal.

Apenas sete dos 26 estados brasileiros registraram variações positivas em dezembro na comparação com novembro de 2012 para o volume de vendas, com destaque para: Rondônia (1,5%); Pará (1,3%); Santa Catarina (1,1%) e Pernambuco (1,0%). Já as principais quedas foram registradas em Tocantins (-6,5%); Mato Grosso do Sul (-5,2%); Amapá (-4,9%); Mato Grosso (-4,8%) e Rio Grande do Sul (-4,3%).


Na comparação com dezembro de 2011, apenas cinco unidades da Federação apresentaram resultados negativos no volume de vendas em dezembro passado: Distrito Federal (-3,5%); Amazonas (-1,2%); Acre (-1%); Mato Grosso (-0,3%) e Minas Gerais (-0,2%). As maiores altas foram registradas em Roraima (14,8%); Espírito Santo (12,2%); Pernambuco (10,6%) e Mato Grosso do Sul (10,5%).

No acumulado do ano, nenhum estado registrou variação negativa para o ano de 2012. Os maiores acréscimos no volume de venda do varejo ocorreram em Roraima (26,7%); Amapá (17,7%); Mato Grosso do Sul (16,9%) e Tocantins (15,3%).

Ainda segundo o IBGE, os resultados trimestrais apontam desaceleração no crescimento do volume de vendas. Na passagem do terceiro para o quarto trimestre do ano, houve queda da taxa de 2,2% para 0,9%.

AGÊNCIA BRASIL

Matérias Relacionadas

Geral

Amvali estuda parceria com IFSC para castração de animais

A ideia é usar a estrutura do campus, para fazer os procedimentos de castração
Amvali estuda parceria com IFSC para castração de animais
Geral

Funcionários dos Correios suspendem greve

Julgamento do dissídio coletivo está marcado para 2 de outubro
Funcionários dos Correios suspendem greve
Segurança

Criança de dois anos e idosa se machucam após queda de nível em Guaramirim

Os Bombeiros Voluntários de Guaramirim, atenderam duas ocorrências de queda de nível nesta terça-feira (17)
Criança de dois anos e idosa se machucam após queda de nível em Guaramirim
PUBLIEDITORIAL

Você quer ser mediano ou Extraordinário?

É comum ouvirmos frases como eu queria ser como aquele cara e ter o que ele tem. Então não perca o Leadership Day - do Ordinário para o Extraordinário
Você quer ser mediano ou Extraordinário?
Ver mais de Geral