GERAL

Charanga do França revive tradição de marchinhas no centro de São Paulo

04 Mar 2019 - 12h17Por Leonardo Zvarick

No penúltimo dia de Carnaval, a festa começou pontualmente às 9h, numa pequena rua de Santa Cecília, centro de SP. Minutos antes, já dava pra ouvir, a distância, uma cacofonia de instrumentos sendo afinados ao mesmo tempo.

Era O Espetacular Bloco da Charanga do França, momentos antes de começar a tocar seu repertório de marchinhas e clássicos brasileiros arranjados para a banda, composta por sopros, metais e percussão.

Criado em 2013 com a ideia de reverenciar a tradição das Charanga, o grupo virou bloco em 2015. E já é tradição. Quando dá 10h, a banda começa a percorrer a pé as ruas do centro, com os foliões em volta. O ponto de partida é sempre o mesmo: a loja Conceição Discos, na rua Imaculada Conceição.

Por volta das 10h50, começou o primeiro protesto contra o presidente Jair Bolsonaro, com foliões gritando mensagens de crítica em coro. O teor político no desfile também podia ser notado em algumas fantasias. Havia estandartes de "zona antifascista", máscaras do presidente com as cores LGBT e a mais popular, a fantasia de laranja. "Achei que estivesse fazendo uma crítica criativa, mas parece que todo mundo teve a mesma ideia", brincou João Augusto, de 31 anos.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Promotor de Justiça verifica situação dos cabos soltos nas ruas em Jaraguá

Marcelo Cota e o secretário de Planejamento, Eduardo Bertoldi, identificaram situações de fiação irregular em Jaraguá do Sul
Promotor de Justiça verifica situação dos cabos soltos nas ruas em Jaraguá
Geral

Entra em vigor lei do teste de paternidade em parentes de suposto pai

O teste em parentes consanguíneos poderá ser autorizado por um juiz
Geral

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira

Obras da rotatória da Bertha Weege começam na segunda-feira
Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Ver mais de Geral