terça, 23 de julho de 2019 - 04h59
(47) 3371-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo
Geral

Caged registra criação de 28,9 mil empregos com carteira assinada em janeiro

25 Fev 2013 - 17h06

 Em janeiro deste ano, foram criados 28.900 empregos com carteira assinada no país, correspondentes ao crescimento de 0,07% em relação ao estoque do mês anterior, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira (22) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No mês, foram declaradas 1.794.272 admissões e 1.765.372 desligamentos no mês, maiores números para o período.   Nos últimos 12 meses, foram abertos 1.163.847 postos de trabalho, expansão de 3,03% no nível de emprego. Entre janeiro de 2011 a janeiro de 2013, tomando como referência os dados da Relação Anual de Informação Social (RAIS), que abrange os celetistas e servidores públicos federais, estaduais e municipais, e do Caged, foram criados 3.586.753 empregos formais.  


Setores - Apresentaram desempenho positivo em janeiro seis dos oito setores da economia. A Indústria da Transformação, com 43.370  postos, teve saldo superior ao registrado em janeiro de 2012 (+37.462) com origem na expansão de 11 dos 12 segmentos que a integram, um registrando recorde e dois com os melhores resultados para o período.   O setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública registrou saldo recorde e a maior taxa de crescimento setorial com +4.285 postos de trabalho. A Construção Civil (+33.421 postos) apresentou um diferencial positivo com relação à média de 10.522 postos de emprego. Além disso, tiveram desempenho positivo Serviços(+ 14.746 postos); Administração Pública (+ 704 postos); e Extrativa Mineral (+454 postos).  Os setores que apresentaram desempenho negativo foram o Comércio (-67.458postos), em grande parte por razão sazonal, e a Agricultura (-622 postos).  

Regiões - Os dados geográficos revelam expansão do emprego em duas das cinco Regiões. O Sul registrou +48.843 postos (+0,69%), saldo superior ao registrado em janeiro de 2012 (+44.164 postos), com destaque para Santa Catarina ( + 18.929 postos) e Rio Grande do Sul (+ 18.789 postos). Centro-Oeste com +16.335 vagas (+0,54%) teve expansão em todos os estados, com destaque para Mato Grosso (+ 9.096 postos). As exceções ficaram por conta do: Nordeste (-29.200 postos), queda marcada devido fatores sazonais, em grande parte às atividades sucroalcooleiras e ao desempenho negativo no Comércio; Norte (-5.495 postos), resultado influenciado pelo Comércio; e Sudeste (-1.583postos), a redução deveu-se, principalmente, ao desempenho negativo do Comércio e da redução dos postos na Agricultura.   Por Unidade da Federação, 11 elevaram o nível de emprego com duas apresentando o segundo melhor desempenho. Apesar disso, 16 estados apontaram recuo. Os destaques positivos foram: Santa Catarina (+ 18.929 postos) e Mato Grosso (+ 9.096 postos), ambos com o segundo melhor resultado para o mês; Rio Grande do Sul (+ 18.789 postos); São Paulo (+ 16.956 postos); Paraná (+ 11.125 postos); Minas Gerais (+ 7.480 postos).

Ministério do Trabalho e Emprego