Interesse Habitação
GERAL

Bolsonaro afirma que alterações no decreto de armas foram pequenas

23 Mai 2019 - 00h07Por Amanda Pupo

O presidente Jair Bolsonaro declarou na noite desta quarta-feira, 22, que as alterações feitas mais cedo no decreto que facilita o porte de armas no País foram "pequenas" e que, "na alma", o decreto continua o mesmo. Publicado no início do mês, o texto passou por contestações na Justiça e no Congresso antes de ser modificado.

"Fizemos pequenas alterações, mas no mérito, na alma, o decreto continua o mesmo", disse Bolsonaro, mencionando a mudança que impôs idade mínima de 14 anos para a prática de tiro esportivo, com a autorização de ambos os responsáveis, ou por apenas um deles na falta de um dos pais. Antes, o esporte estava liberado para menores de 18 anos, com necessidade de autorização de apenas um dos responsáveis. A declaração foi dada à imprensa durante evento de comemoração do aniversário de Israel realizado na embaixada do país no Brasil.

Bolsonaro falou ainda sobre as manifestações pró-governo programadas para acontecer neste domingo (26) pelo País, as quais o presidente definiu como um "movimento espontâneo". Perguntado sobre a orientação que deu a seus ministros para que não marcassem presença nos atos, Bolsonaro respondeu que "todo mundo é maior de idade e sabe o que faz". "É um movimento espontâneo, eu respeito a soberania popular, essa pauta não tem nada de anormal, é um direito da população de se manifestar", completou o presidente.

Parceria. Durante o discurso no evento, Bolsonaro destacou acordos e parcerias realizados com Israel durante a visita que fez ao país em março, e afirmou que o Brasil tem muito a aprender e também a oferecer ao Estado israelense.

"E além dos acordos, firmamos parcerias para que com a tecnologia deles, em um primeiro momento, com as nossas riquezas minerais e no tocante também à biodiversidade, possamos desenvolver tudo isso para o bem dos nossos povos", disse Bolsonaro em discurso no evento.

Durante a viagem, Bolsonaro e o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu assinaram cinco acordos de cooperação nas áreas de defesa, serviços aéreos, prevenção e combate ao crime organizado, ciência e tecnologia e um memorando de entendimento sobre segurança cibernética. Foi também durante a visita que o chefe do Executivo brasileiro anunciou a criação de um escritório de negócios em Jerusalém. Lá, o premiê israelense afirmou que a criação era um primeiro passo para que a embaixada brasileira chegasse a Jerusalém, o que foi uma promessa de campanha de Bolsonaro.

Matérias Relacionadas

Corupá

Pesquisadores da EMBRAPA participam de palestra sobre fungo causador do Mal do Panamá que atinge plantações de banana na América Latina

O Instituto Colombiano Agropecuário (ICA) confirma que testes de laboratório foram positivos para a presença do fungo causador do "Mal do Panamá"
Pesquisadores da EMBRAPA participam de palestra sobre fungo causador do Mal do Panamá que atinge plantações de banana na América Latina
Geral

Eleição do Conselho Tutelar de Jaraguá do Sul vai ocorrer na Escola Abdon Batista

Ao todo, serão cerca de 1.500 conselheiros eleitos em Santa Catarina, sendo ao menos, cinco por cidade
Eleição do Conselho Tutelar de Jaraguá do Sul vai ocorrer na Escola Abdon Batista
Guaramirim

Menino de 11 anos sofre queda de nível em Guaramirim

A ocorrência aconteceu no bairro Guamiranga
Menino de 11 anos sofre queda de nível em Guaramirim
Corupá

Acidente de trabalho movimenta os Bombeiros de Corupá

Os Bombeiros foram acionados no bairro Seminário
Acidente de trabalho movimenta os Bombeiros de Corupá
Ver mais de Geral