CMJS - Agosto
Saúde

Ministério da Saúde aponta 1.003 mortes por H1N1

23 Jun 2016 - 12h41
Boletim epidemiológico divulgado ontem pelo Ministério da Saúde constata que 1.003 pessoas morreram por causa do vírus H1N1 desde o início do ano até o dia 11 de junho. Em uma semana, foram registradas 117 novas mortes pelo vírus. É o maior número de mortes por H1N1 no país desde a pandemia de 2009, que matou 2.060 brasileiros.

São Paulo é o estado com o maior número de vítimas: 434, o que corresponde a 42,7% do total no país. Em seguida, está o Rio Grande do Sul, com 119 mortos. O Rio de Janeiro aparece na sexta posição com 44 pessoas mortas por H1N1.

Segundo o Ministério da Saúde, foram notificados 5.214 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) por influenza A/H1N1 ao longo de 2016. A SRAG é uma complicação da gripe. Em uma semana, foram registrados 633 novos casos de SRAG por H1N1 no país.

Este ano, o vírus chegou antes do previsto e pegou uma população que ainda não tinha tomado vacina. Especialistas discutem várias hipóteses que podem explicar a antecipação da chegada do vírus, que vão desde fatores climáticos até o aumento de viagens internacionais que podem ter trazido o H1N1 que circulava no hemisfério norte. Mas não há uma explicação definitiva para a chegada precoce do vírus. Além das mortes por H1N1, houve 100 mortes por outros tipos de influenza.

 

Jornal O Dia