dengue
Geral

Assembleias regionais dos professores decidem aguardar votação sobre greve na estadual

16 Jul 2011 - 12h24

Nesta sexta-feira, professores de Santa Catarina se reuniram em assembleias estaduais para decidir o futuro da greve. A maioria delas optou por não encaminhar nenhum indicativo, acatando o que for votado na assembleia estadual, marcada para a próxima segunda-feira.

A coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), Alvete Bedin, não tinha ainda o levantamento de todas as regionais. De acordo com ela, as informações apresentadas mostravam que o indicativo pelo fim ou continuidade do movimento seria decidido pela assembleia estadual, marcada para às 14h no Centrosul. O comando de greve estará reunido na segunda-feira pela manhã, para decidir a pauta, a ser debatida.

A assembleia regional dos professores de Florianópolis e São José foi uma das que optou por não levar nenhum indicativo ao encontro estadual. Ao tentar votar quais trabalhadores retornariam à sala de aula ou permaneceriam em greve, não se teve um resultado claro. A decisão mais expressiva foi por aguardar a votação de segunda-feira. A coordenadora regional do Sinte da Capital, Rosane de Souza, avaliou o encontro como positivo, porque ele manteve uma participação alta dos professores.

- Ela não estava esvaziada. Discutimos o projeto de lei complementar (PLC), e chegamos à conclusão de que se houve alguma derrota, foi a do governo. Tivemos falas muito indignadas com as postura dos deputados e por terem chamado o Bope para dentro da Assembleia Legislativa - falou a coordenadora, lembrando o episódio do dia da votação do PLC.

Os advogados do sindicato estão levantando itens que podem ser questionados no projeto e aguardam a publicação da lei. O advogado, José Sérgio Cristóvam, acredita que no início da próxima semana o estudo deve estar pronto. A substituição do plano de carreira por uma nova tabela é um dos questionamentos. Ele observou que pela lei do piso nacional, os estados tinham até dezembro de 2009 para adaptar a carreira dos professores, o que não foi feito em SC.

Já o governo, voltou a afirmar, em nota divugada ontem, que as negociações irão continuar com o retorno dos professores às salas de aula. No texto, o secretário-adjunto da Educação, Eduardo Deschamps, explicou que a tabela do magistério é complexa, e que a atual foi montada para o Estado cumprir a lei do piso. Sobre os descontos dos dias parados, a Secretaria da Educação prorrogou o prazo, até terça-feira, para os professores apresentarem o planejamento de reposição das aulas, e dessa maneira receberem o que foi descontado, pelos dias parados. 

DIÁRIO CATARINENSE

Matérias Relacionadas

Geral

Número de mortes por enchentes no RS aumenta para 176

Corpo não identificado foi encontrado em Venâncio Aires
Número de mortes por enchentes no RS aumenta para 176
Geral

Confira as previsões do horóscopo para hoje

Saiba o que os astros reservam para você no amor, vida profissional e viagens
Confira as previsões do horóscopo para hoje
Geral

Teatro ContraPonto apresenta "Dom Quixote e os Ratinhos da Biblioteca" neste domingo na SCAR

A peça, de cerca de 55 minutos, conta a história de quatro ratinhos que moram em uma biblioteca e gostam muito de ler.
Teatro ContraPonto apresenta "Dom Quixote e os Ratinhos da Biblioteca" neste domingo na SCAR
Geral

Pesquisa do IBGE mostra a falta de identificação de ruas e endereços na região

Segundo os dados, Corupá tem 37% dos imóveis sem identificação oficial
Pesquisa do IBGE mostra a falta de identificação de ruas e endereços na região
Ver mais de Geral