Geral

Após seis dias, catarinense de dois anos submetido a transplante de coração passa bem

03 Ago 2011 - 16h37

A equipe médica do Incor começou nesta quarta-feira a reduzir a sedação do menino Cauê Suzin, submetido a um transplante de coração, na quinta-feira passada, em São Paulo. Morador de Concórdia, no Oeste, Cauê tem 2 anos e teve que fazer o procedimento por conta de uma miocardiopatia congênita, uma doença no músculo do coração que não bombeia o sangue de forma correta.


Passados seis dias da cirugia, o menino não teve febre. Na terça-feira foi detectado um vazamento na válvula mitral, que está sendo controlado por meio de medicamentos.

Cauê estava há três meses à espera do transplante, mas as doações de órgãos de crianças ainda são raras no Brasil.

- Sei que a morte de um filho é um momento de muita dor, mas queria lembrar aos pais que a doação de um órgão é um ato de amor. Seu filho pode ajudar outra pessoa viver - diz Viviane Suzin.

DIÁRIO CATARINENSE

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Política

Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim

Deputado repercutiu assuntos tratados com secretário de Agricultura no norte catarinense e necessidade de reforço nas barreiras fitossanitárias
Caropreso pede que governo priorize solução para infestação de maruim
Geral

Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo

Os usuários que estacionarem na Zona Azul da cidade e não efetuarem o pagamento, continuarão a receber o Aviso de Cobrança de Tarifa, mas somente poderão efetuar a quitação no prazo de até 10 minutos a partir do horário de emissão do aviso
Justiça suspende pagamento de tarifa de pós-utilização no rotativo
Saúde

Havan ajuda na compra de dois respiradores

Um deles foi doado para o Samu de Joinville e o outro para Barra Velha. Ambos vão atender os pacientes do município quando precisam ser transportados com urgência para hospitais da região
Geral

Chamadas telefônicas lideram o ranking de contatos para o Samae

Em segundo lugar estão as demandas através do aplicativo de celular (whatsapp) e por último os atendimentos presenciais
Chamadas telefônicas lideram o ranking de contatos para o Samae
Ver mais de Geral