GNet
Geral

Apesar de queda, estimativa do Recicla Jaraguá mantém estabilidade

14 Out 2016 - 12h12

Inicialmente, cabe avaliar o comportamento dos resíduos sólidos domiciliares comuns (lixo) coletados em Jaraguá do Sul. O acumulado entre janeiro e setembro de 2016 demonstra uma queda per capita quando comparado aos resultados dos últimos anos (gráfico 1). Os números destes nove meses de 2016 (23.003,41 ton.) praticamente equivalem àquilo que o município recolheu no mesmo período de 2010 (22.991,36 ton.). Contudo, cabe destacar que a população em 2010 representava 143.123 habitantes, chegando, segundo o IBGE, a 167.300 habitantes em 2016, representando um crescimento de 16,8%. Considerando que o incremento populacional representa o fator que mais repercute na geração de “lixo”, o que se observa é uma nítida redução da produção per capita. Assim, ao mesmo tempo em que a população cresceu no período, houve uma significativa redução que, infere-se, estaria atrelada a outros fatores como a economia e a redução da capacidade de gastos da população, o que também impacta diretamente a geração de lixo.


Analisando os dados da coleta seletiva de materiais recicláveis (gráfico 2), observou-se uma redução no número de cargas coletadas da ordem de 6,9% entre agosto e setembro, estabelecendo uma média de 221,5 cargas por mês. Este número está abaixo da média observada em 2014, com 248,7 cargas mensais e também é inferior a de 2015, com 282,1 cargas por mês. Desde o início do Programa Recicla Jaraguá, já foram coletadas 8.856 cargas de materiais recicláveis.

Quanto ao peso estimado de materiais recicláveis, o gráfico 3 demonstra que entre agosto e setembro também registrou-se uma redução, ainda mais significativa, da ordem de 11%, passando de 364 toneladas para 323,9 toneladas. No mesmo intervalo, o lixo comum coletado somou 2.408,30 toneladas em agosto, alcançando 2.547,71 toneladas em setembro, um aumento de 5,79%. Assim, uma equivalência esperada entre recicláveis e lixo comum não se confirmou, indicando que a separação de materiais recicláveis sofreu uma redução significativa. Desde o início do Programa Recicla Jaraguá 13.010,6 toneladas foram separadas pela população e encaminhados para as associações e cooperativas de reciclagem da cidade.

Por fim, no balanço entre o peso estimado de materiais recicláveis e o total de lixo produzido pela população (gráfico 4) mostra o comportamento da proporção observada até aqui. Para esta análise, reitera-se que do total de lixo produzido pela população de Jaraguá do Sul, 30,2% representam materiais recicláveis, 51,82% são compostos orgânicos e 17,98% são rejeitos (gráfico). Portanto, ao alcançar a separação de 11,3% apresentada no gráfico 4, o município deu destinação correta para 37,4% de todo o material reciclável potencialmente aproveitável que é gerado pela população.


Ao longo de 2016, o Programa apresenta relativa estabilidade. Contudo, o mês de setembro representou a pior proporção entre o volume de materiais recicláveis e o total de resíduos gerados na cidade. Enquanto em janeiro esta proporção havia atingido 14,1%, em setembro a proporção foi de 11,3%. Outra análise necessária diz respeito à sazonalidade que é observada, ou seja, à relação entre a geração de materiais recicláveis – e de todo o tipo de resíduo – e a época do ano. Sendo assim, setembro de 2016 apresentou um resultado inferior àquele de 2015, com 12,9%, mas significativa melhor do que o obtido no primeiro mês de existência do Programa Recicla Jaraguá, em setembro de 2013, quando foi registrada uma proporção de 3,9%, e também melhor do que em setembro de 2014, com 9,7%.

De acordo com o presidente da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente, Leocadio Neves e Silva, vem crescendo muito o furto de material reciclável. Muitos caminhões passam antes do contratado pela Prefeitura e levam o material. “Não há como avaliar o impacto desta prática, mas, segundo os motoristas dos caminhões da Ambiental, responsáveis pelo serviço, o impacto deve ser significativo. “Há a necessidade de fiscalização por parte da população. Muita gente tem coibido a prática, mas quanto mais fiscais, melhor para o Programa”, finaliza Silva.

GNet

Matérias Relacionadas

Economia

Começa a Compra Premiada em Guaramirim

Ação vai distribuir R$ 42 mil em prêmios
Começa a Compra Premiada em Guaramirim
Geral

Navegantes não terá a Navegay em 2022

No ano passado, na 42ª edição, cerca de 200 mil pessoas aproveitaram a festa.
Navegantes não terá a Navegay em 2022
Saúde

Posto de Saúde do João Pessoa terá Farmácia Básica a partir de quarta-feira

Unidade terá os mesmos medicamentos oferecidos nas outras quatro farmácias básicas do município
Posto de Saúde do João Pessoa terá Farmácia Básica a partir de quarta-feira
Geral

Fujama captura maior espécie de cobra do Norte de SC em Jaraguá

Cobra tem cerca de um metro
Fujama captura maior espécie de cobra do Norte de SC em Jaraguá
Ver mais de Geral