Imobiliária Coralli
Geral

Apesar de queda em julho, perspectiva de consumo é favorável em SC

26 Jul 2012 - 22h14

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) caiu em julho em Santa Catarina. Com 122,1 pontos registrados no mês, o índice é 7,2% menor na comparação anual e 17,8% inferior ao mês passado. Ainda assim, o resultado aponta para um segundo semestre positivo para as vendas do comércio, já que a perspectiva de consumo é alta e a ICF continua em um patamar otimista - superior aos 100 pontos.


Na avaliação da Fecomércio SC, a retração se dá em decorrência da intensificação da crise internacional e da percepção dos primeiros sinais de limite do crescimento interno sustentado apenas na ascensão do crédito e no consumo das famílias. Este limite vem impactando negativamente a economia brasileira e se traduzindo em redução do investimento e no menor ritmo de geração de emprego, como foi apontado.  

Além dos aspectos conjunturais, a Pesquisa Fecomércio mostra que o elevado nível de endividamento proporcionou às famílias maior possibilidade de compras a prazo, mas também vem refletindo na preocupação com a inadimplência. As famílias catarinenses estão preocupadas em pagar suas dívidas antigas em vez de assumir novas parcelas. O comportamento se reflete diretamente na baixa registrada na intenção de consumo e afeta principalmente o desempenho das vendas de bens duráveis, dessa vez, com impacto direto na venda - especialmente - de carros novos.

Apesar da maior parte dos itens que compõem a ICF terem apresentado variação negativa em julho, a tendência de crescimento do consumo no segundo semestre deve ser mantida, já que a ICF continua em patamar considerado positivo: 122,1 pontos.

Emprego, renda e consumo atuais

Os subíndices 'emprego atual', 'renda atual' e 'nível de consumo atual' tiveram quedas em julho. Na comparação mensal apresentaram redução de -19,0%; -15,0%; e -15,9%. No comparativo com o mesmo período do ano passado, a retração atingiu - 9,9%; -5,8%; e - 5,2%,  respectivamente.

Para a Fecomércio SC, os sinais negativos tiveram influência direta da queda da ICF e comprovam um sinal de esgotamento do crescimento econômico sustentado exclusivamente pela via do consumo e do crédito. Apesar disso, na análise da entidade, a economia deve reagir aos estímulos fiscais concedidos pelo governo. Se isto se confirmar, o segundo semestre poderá apresentar aceleração na geração de novos empregos e expansão da renda, o que reduziria a inadimplência e, por consequência, traria novo impulso no aumento do consumo das famílias.

Perspectiva profissional

Assim como ocorreu em junho, de novo o item 'perspectiva profissional' apresentou forte queda tanto na variação mensal (-17,3%), quanto na anual (-7,8%). O índice alcançou apenas 88,2 pontos, o que indica um pessimismo das famílias no próprio futuro profissional. Neste ponto, a Fecomércio  SC lembra os efeitos da falta de mão-de-obra qualificada. O problema afeta até mesmo os que estão empregados, que não conseguem crescimento dentro da estrutura das empresas.

Acesso ao crédito

A queda no indicador 'acesso ao crédito' ajuda a explicar o menor consumo atual dos catarinenses. Em julho houve retração de 11,2% na comparação mensal e de 8,2% na variação anual. Entretanto, o patamar de 147,6 pontos é bastante elevado. E as medidas governamentais de diminuição da taxa de juros e facilitação da concessão de crédito devem incentivar os consumidores a trocarem as dívidas caras por dívidas mais baratas, o que tende a melhorar o indicador no médio prazo.

Momento para duráveis

Acompanhando os índices mensais "o momento para os duráveis", geralmente em destaque na ICF recente, também apresentou queda mensal (-37,3%) e anual (-34,5%). Apesar dos 113 pontos registrados, o cenário indica redução na venda de automóveis novos, por exemplo, que já não encontram demanda tão favorável quanto anteriormente.

Perspectiva de consumo

A variação mensal da 'perspectiva de consumo' foi de -5,9%, mas a queda não se repetiu com os números anuais. Na variação com julho de 2011, o saldo é positivo (33,5%) e ajudou a manter o índice nos 149,8 pontos, apontando um segundo semestre com forte ritmo de vendas para o comércio catarinense. O que torna o item 'perspectiva de consumo' o melhor índice da ICF de julho.

Matérias Relacionadas

Segurança

Ciretran vai ampliar atendimento no setor de captação de imagens

A informação é do delegado regional, Fabiano dos Santos Silveira
Ciretran vai ampliar atendimento no setor de captação de imagens
Segurança

Incêndio atinge apartamento no Jaraguá 99

Quando os bombeiros chegaram no local havia muita fumaça, mais já sem focos de incêndio ativo
Incêndio atinge apartamento no Jaraguá 99
Guaramirim

Suspeito de roubo é localizado, reconhecido e preso em Guaramirim

O crime ocorreu na segunda-feira, 28, por volta das 22h30min, momento em que um cidadão de 28 anos retornava do trabalho de bicicleta pela BR 280
Suspeito de roubo é localizado, reconhecido e preso em Guaramirim
Santa Catarina

Santa Catarina tem saldo positivo de 18,3 mil empregos em agosto, melhor resultado do Sul

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), pesquisa divulgada mensalmente
Santa Catarina tem saldo positivo de 18,3 mil empregos em agosto, melhor resultado do Sul
Ver mais de Geral