Delivery Much
GERAL

Acordo racha força-tarefa que investiga Brumadinho

25 Abr 2019 - 12h00Por Leonardo Augusto, especial para a AE

Um acordo fechado entre a Vale e a Defensoria Pública do Estado de Minas para vítimas da barragem da mineradora em Brumadinho rachou a força-tarefa que investiga a tragédia. A tratativa é avaliada pela promotoria e pela Defensoria Pública da União como prejudicial aos atingidos, enquanto a Defensoria Pública do Estado afirma que "não existe" uma força-tarefa atuando em relação ao rompimento da barragem.

O acordo, segundo o Ministério Público, foi assinado à revelia de outros integrantes da força-tarefa que atuam nas negociações para pagamento de indenização e ressarcimento por danos provocados pelo rompimento da barragem; o caso completa três meses nesta quinta-feira, 25. "Temos todo respeito ao Ministério Público, mas não temos de ter sua autorização para trabalhar", rebateu o defensor público estadual Felipe Soledade. "Nosso compromisso é com os atingidos", disse.

O termo, segundo o promotor André Sperling, foi estabelecido com critérios da própria Vale, que já haviam sido recusados nas negociações com toda a força-tarefa. A prova disso, ainda segundo o promotor, é que valores previstos no acordo fechado entre a mineradora e a Defensoria Pública do Estado já haviam sido apresentados, e recusados, na mesa de negociação envolvendo todo o grupo investigador.

Havia, por exemplo, proposta para pagamento de R$ 500 mil em caso de filho morto no rompimento da barragem e de R$ 150 mil por irmão morto na tragédia. "O que a Vale fez no acordo foi construir uma tabela, uma matriz de danos, para encaixar cada vítima. E fez tudo isso sem ouvir os atingidos. É uma tabela construída pelo próprio causador do dano", explicou o promotor.

A Vale confirmou o acordo celebrado com a Defensoria. "A Vale ressalta que, embora tenha criado esta via direta de negociação consensual, caberá ao atingido optar qual é o meio mais adequado para buscar seus direitos. O Termo de Compromisso é um documento sigiloso por conter valores sobre danos morais." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Falta de mão de obra qualificada preocupa empresários de Corupá

Grupo se reuniu com o prefeito Luiz Carlos Tamanini na manhã de quarta-feira (27)
Falta de mão de obra qualificada preocupa empresários de Corupá
Geral

Prefeitura de Jaraguá contrata estagiários de ensino superior

A partir desta quinta-feira (28) o formulário de inscrição já estará disponível
Prefeitura de Jaraguá contrata estagiários de ensino superior
Geral

Primeira plenária do ano da CDL de Jaraguá ocorre nesta quarta

Encontro online ocorre a partir das 19h30
Geral

Incêndio na boate Kiss completa oito anos sem julgamento dos réus

Tragédia resultou na morte de 242 pessoas e deixou 680 feridos
Incêndio na boate Kiss completa oito anos sem julgamento dos réus
Ver mais de Geral