Olimpíada

Atleta leiloa medalha para salvar menino com câncer e arrecada 115 mil euros

25 Ago 2016 - 15h58
"Minha medalha de prata hoje vale muito mais do que há uma semana", disse à Agência Efe o lançador de disco, que em menos de cinco dias conseguiu arrecadar o dinheiro necessário para ajudar Olek, um menino de apenas dois anos cuja família não tinha os recursos necessários para custear as despesas médicas da doença de seu filho.

"Infelizmente o esporte se mercantilizou muito nos últimos anos e hoje impera outro espírito, embora ainda haja esportistas solidários, com valores, que querem ajudar os demais e se envolvem em ações caridosas", acrescentou este esportista, que nesta quinta-feira se reunirá com a família de Olek para celebrar o êxito do leilão.

No final de mês, o menor viajará com sua família aos Estados Unidos para se submeter a um tratamento especial que o ajude a superar um câncer nos olhos, explica Malachowski, que também espera poder se reunir nos próximos dias com Dominika e Sebastian Kulczyki, o casal de empresários que finalmente arrecadou sua medalha de prata.

"Ainda não recolheram a medalha, e espero que façam isso pessoalmente para nos conhecermos", explica Malachowski, que assegurou que não sentirá saudades de sua conquista. "Uma medalha é só um pedaço de metal, mas a saúde de uma criança vale muito mais".

A família de Olek disse se sentir "feliz, muito feliz", como explicou à Efe sua mãe, Gosia, de quem partiu a ideia de se comunicar com o lançador de disco através de seu perfil público na rede social Facebook, primeiro para parabenizá-lo e depois para pedir ajuda.

"Pouco depois da minha participação nos Jogos Gosia me escreveu, e eu não pensei duas vezes porque tinha que reunir o dinheiro o mais rápido possível, já que nestes casos não se pode esperar, há muito em jogo", assegura Malachowski.

A partir daí, o atleta pôs sua medalha de prata em uma rede social de leilões, e em poucos dias o número alcançou o necessário para a viagem aos Estados Unidos e o tratamento completo.

"Ganhar uma medalha olímpica é o sonho de todo atleta, e certamente que o ouro é o mais prezado. Fiz de tudo para conseguir, mas infelizmente não foi possível desta vez, embora o destino me deu agora a oportunidade de aumentar o valor da minha medalha de prata graças à solidariedade", diz o atleta.

 

Matérias Relacionadas

Saúde

IBGE promove pesquisa sobre covid por telefone

Cerca de dois mil agentes do IBGE fazem contato por telefone com 193,6 mil domicílios de 3.364 municípios de todos os estados do país
IBGE promove pesquisa sobre covid por telefone
Geral

Senado aprova projeto de combate a notícias falsas

O texto segue para a Câmara dos Deputados.
Esportes

Atleta promove ultramaratona solidária no domingo em Jaraguá

Mauro Freitas é ultramaratonista, já participou de diversas competições em várias cidades do país.
Atleta promove ultramaratona solidária no domingo em Jaraguá
Geral

Em um ano, Hospital Santo Antônio de Guaramirim alcança mais de R$ 1 milhão de economia real

Conforme o diretor do HSA, Valmor Busnello, desde que o Instituto Santé assumiu a gestão da entidade, foram investidos mais de R$ 135 mil em instrumentais cirúrgicos e equipamentos.
Em um ano, Hospital Santo Antônio de Guaramirim alcança mais de R$ 1 milhão de economia real
Ver mais de Geral