Futebol

Mourinho é apresentado como técnico do United e já provoca técnicos rivais

05 Jul 2016 - 15h33
O português, que assumiu o comando do clube após a saída de Louis Van Gaal, ao final da temporada passada, celebrou a oportunidade de treinar o maior campeão do país.

"Chego em um clube que é muito difícil de descrever, não encontro as palavras adequadas. É o trabalho que todos no mundo querem e nem tantos tiveram a oportunidade de ter. Conheço a responsabilidade, a expectativa e o legado deste clube. Sei o que os fãs esperam de mim", ressaltou Mourinho, em sua primeira declaração oficial.

 

"Desde o princípio tinham claro que precisávamos de quatro tipo de jogadores para dar equilíbrio à equipe e um salto de qualidade. Tenho muito claro o modelo de jogo (que será utilizado), por isso sabemos exatamente o tipo de jogador especialista que precisamos e, até que eles cheguem, nós trabalharemos duro para isso. Nosso sistema será baseado em marcar mais gols que os oponentes, receber menos e deixar os fãs orgulhosos", projetou Mourinho, que revelou que Rooney deverá jogar como meia-atacante em seu esquema.

O treinador ainda lamentou o fato do clube não disputar a Liga dos Campeões nesta temporada, já que acabou perdendo a vaga para o torneio continental nas últimas rodadas do Campeonato Inglês. De acordo com Mourinho, o United estará em breve no lugar em que deveria estar.

 

"Espero que seja só por um ano. Existem alguns treinadores que a última vez que ganharam algo já faz 10 anos. A última vez que venci algo faz um ano. Nunca serei capaz de trabalhar sem êxito, esta é minha natureza", alfinetou Mourinho, em clara alusão ao técnico Arsene Wenger, do Arsenal, que tem seu trabalho questionado pela falta de títulos.

O nome de Guardiola, seu rival dos tempos de Real e Barça, também foi levantado por jornalistas que estavam presentes na coletiva de imprensa. No entanto, o técnico foi mais sutil ao avaliar a rivalidade com o treinador espanhol.

"Não gosto de falar de uma equipe ou de um treinador em particular como um inimigo. Na Espanha era diferente, porque é uma competição entre dois clubes, mas na Inglaterra isso não acontece. Respeito o resto dos clubes do país", minimizou Mourinho, que ainda citou o feito do Leicester na última temporada.

"Deram uma lição importante. Não só que eles foram felizes, mas sim que existem 20 equipes lutando pelo campeonato. Temos que agradecer o que eles fizeram pelo futebol inglês."

Por fim, o treinador comentou sobre a saída do ídolo do clube, Ryan Giggs, que trabalhava como auxiliar técnico de Van Gaal na última temporada. Segundo Mourinho, Giggs saiu pois gostaria de ter assumido o cargo de técnico após a demissão do holandês.

"O trabalho que Ryan queria é este que me foi dado. Ele quer ser treinador e tomou a decisão de sair, como também fiz quando sai do Barcelona há 16 anos. Foi valente e honesto, lhe desejo sorte", finalizou o treinador, que ainda disse ter conversado com Sir Alex Ferguson, ex-treinador do United e atual dirigente do clube, para marcar uma oportunidade de "tomar um vinho e estarem juntos".

Matérias Relacionadas

Esportes

Juventus perde para o Figueira por 2 a 1

A partida ocorreu no Estádio João Marcatto, em Jaraguá do Sul, sem torcida, e marcou o retorno das duas equipes após mais de cem dias sem jogos por causa da pandemia do novo coronavírus.
Juventus perde para o Figueira por 2 a 1
Esportes

CBF anuncia novo calendário do futebol brasileiro

Início das Copas Libertadores e Sul-Americana segue indefinido
CBF anuncia novo calendário do futebol brasileiro
Esportes

Rádio Jaraguá transmite jogo do Juventus na tarde desta quinta

Acompanhe em 101.3 FM, baixe nosso App ou ouça em www.diariodajaragua.com.br
Rádio Jaraguá transmite jogo do Juventus na tarde desta quinta
Futebol

Campeonato Catarinense retorna com dois jogos hoje

Nesta 5ª feira, com transmissão da Jaraguá FM, o Juventus enfrenta o Figueirense em Jaraguá do Sul
Campeonato Catarinense retorna com dois jogos hoje
Ver mais de Futebol