sábado, 25 de maio de 2019 - 02h47
(47) 3371-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo
ESPORTE

Levir desabafa ao defender manutenção de equipe no Atlético-MG e rebate críticas

15 Mar 2019 - 20h32

O técnico do Atlético-MG, Levir Culpi, exibiu um grande tom de desabafo nesta sexta-feira à tarde, na Cidade do Galo, onde comandou treino de preparação para o clássico contra o América, no domingo, às 16 horas, no Mineirão, pelo Estadual de Minas Gerais. E, ao abordar o duelo, o treinador aproveitou para defender a manutenção do time e do esquema tático que utilizou na derrota por 1 a 0 para o Nacional, na última terça, em Montevidéu, no Uruguai, pela Copa Libertadores, e gerou muitas críticas por parte de torcedores atleticanos e de alguns veículos da imprensa brasileira.

Foi o segundo revés em dois jogos da equipe alvinegra na fase de grupos da competição continental, na qual agora vive situação complicada para avançar às oitavas de final, mas Levir acredita que as avaliações negativas que recebeu são injustas e ele as rebateu de forma veemente.

"Existe uma diferença muito grande entre o apelo da imprensa e o apelo da torcida com a realidade das coisas. Vocês da imprensa, os torcedores, têm um acesso muito pequeno. O mundo de vocês é muito pequeno e vocês não entendem como funcionam as coisas lá dentro. Quem não jogou futebol tem mais dificuldade ainda", afirmou o comandante, em entrevista coletiva, na qual em seguida lembrou que no futebol nem sempre o time que joga melhor do que um adversário sai de campo como vencedor.

"Quantas vezes nós jogamos maravilhosamente bem e perdemos? Quantas vezes já jogamos muito mal e vencemos? Tem coisas que não é questão de análise. Seria interessante colocar o que todo mundo quer e, a cada dia, eu colocaria uma formação diferente. As pessoas precisam acreditar no trabalho nosso, que não é de agora. Tem de ter tempo para estabilizar. Nós não temos nem um time estabilizado. Nós temos jogadores que são ótimos e que nem jogaram ainda", reforçou.

Normalmente bem humorado em suas entrevistas, Levir estava com um semblante bastante sério, evitou fazer piadas e ressaltou que vê um imediatismo na cobrança por mudanças que ele não concorda que tenham de ser feitas agora. "Você tem de aguentar um jogador que não está bem. Não é essa lógica. Não funciona assim, e vocês (jornalistas) sabem disso. É preciso ter continuidade para todos. Não é 'jogou mal, tem de tirar, jogou bem, tem de pôr'. Não é essa a lógica do futebol. Não funciona assim. Tem de ter continuidade para todos. Quem entra em campo pensando em jogar mal? Quem escala o time do Atlético pensando em perder? São questões meio neuróticas", desabafou.

'CRÍTICA AOS CRÍTICOS' - O fenômeno da disseminação de opiniões em larga escala por um grande número de pessoas, propiciado pelas redes sociais na internet, também foi citado por Levir nesta sexta-feira para expressar a sua insatisfação com comentários negativos sobre ele e suas decisões como treinador do Atlético.

"A gente precisa administrar isso um pouco, mas infelizmente não tem como. Viralizou. É coisa de rede social. A rede social é coisa para covardes. O covarde, atrás de uma rede social, é ótimo para ele. Ele escreve o que ele pensa, mete o pau em todo mundo, e está todo mundo ali lendo. Vocês têm de pensar mais nisso. Eu gostaria de fazer uma crítica aos críticos agora. No trabalho de vocês, vocês estão em qual lugar no ranking brasileiro? As pessoas só querem julgar o jogador, o clube, o time ou o técnico", ressaltou.

E Levir deixou claro que já está chegando ao limite da paciência com as críticas e também que não deixará de voltar a rebatê-las de maneira forte se for preciso. "O jogador, para jogar no Atlético, tem de ser bom. O técnico tem de ter resultados para permanecer, não é isso? Só que a minha maneira de trabalhar é diferente. Às vezes eu bato de frente com alguém. Eu prefiro levar as coisas feliz da vida porque eu sou um cara que me sinto feliz. Não sou rancoroso. Só que a vida não são só abraços e beijos. Eu tomos uns pontapés também, mas às vezes eu dou. Me desculpem, mas não aguento ouvir muito. Também tenho limites, sou ser humano, que erro muito, mas eu tenho convicção do que eu faço", enfatizou.

Em momento ruim na Libertadores, o Atlético é o atual líder isolado do Campeonato Mineiro, com 22 pontos, um à frente justamente do América, que ainda está invicto na competição e jogará neste domingo para assumir o topo da tabela. Terceiro colocado, com 19 pontos, o Cruzeiro enfrenta o Tupi neste sábado, fora de casa, na abertura da penúltima rodada da primeira fase do Estadual.